Trump pretende que México seja seu muro na América Latina

Trump pretende que México seja seu muro na América Latina

A medida que milhares de migrantes da América Central avançam em sua longa marcha para a fronteira dos EUA, sob críticas diárias do presidente Donald Trump, o governo mexicano está sendo forçado a decidir: as ameaças de Trump sugerem que o México intervenha? Por enquanto, a polícia mexicana apenas observa a caravana se deslocar. O impasse parece ter chegado à Casa Branca e, mais uma vez, o principal relacionamento bilateral do México parece instável.

A medida que milhares de migrantes da América Central avançam em sua longa marcha para a fronteira dos EUA, sob críticas diárias do presidente Donald Trump, o governo mexicano está sendo forçado a decidir: as ameaças de Trump sugerem que o México intervenha? Por enquanto, a polícia mexicana apenas observa a caravana se deslocar. O impasse parece ter chegado à Casa Branca e, mais uma vez, o principal relacionamento bilateral do México parece instável.

`É triste, mas, ao que parece, a polícia e as Forças Armadas mexicanas não conseguem deter a caravana que se dirige à fronteira sul dos EUA`, tuitou Trump. A caravana é um novo capítulo na complicada tentativa do México de se equilibrar entre as ameaças americanas e sua política interna. Deter ou deportar membros da caravana certamente agradaria a Trump, mas passaria por cima das leis de imigração mexicanas e aumentaria a impressão de que o governo do México recebe ordens da Casa Branca.

A caravana, porém, se arrisca a ficar no centro de um confronto mais sério se Trump ameaçar cortar a ajuda ao México, como já ameaçou a América Central, ou decidir bloquear a fronteira com forças militares. Diariamente, bilhões de dólares em comércio cruzam a fronteira EUA-México. Qualquer tentativa de impedir esse fluxo poderia causar sérios danos econômicos ao México. O renegociado Acordo de Livre-Comércio da América do Norte também pesa na balança, pois precisa ser ratificado pelos Parlamentos dos dois países.

O dilema do governo mexicano agrava-se pelo fato de o presidente eleito, Andrés Manuel López Obrador, ter feito campanha prometendo uma abordagem mais suave com a imigração, dizendo que não sairia caçando imigrantes como se fossem criminosos. O futuro chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, disse que o novo governo dará mais vistos de entrada a centro-americanos.

No domingo, policiais mexicanos antimotim tentaram bloquear a passagem dos centro-americanos que avançam para o norte. Quando os migrantes de aproximaram da barreira, foram aconselhados a pedir vistos ao México. Havia ônibus vazios prontos para levá-los às repartições responsáveis. Centenas de membros da caravana concordaram em se legalizar, mas organizadores se mostravam céticos com as autoridades mexicanas e sua oferta de legalização,

Kevin Sieff y Joshua Partlow

ANALISE : Kevin Sieff y Joshua Partlow / The Washington Post

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino