Bolivia  ●  Chile  ●  Evo Morales  ●  Islas Malvinas  ●  Mercosur  ●  Mercosur-UE  ●  Venezuela

Smiles investe em operação na Argentina

Smiles investe em operação na Argentina

A Smiles, empresa de fidelidade da Gol, vai inaugurar na segunda-feira sua operação na Argentina. A instalação da subsidiária exigiu da companhia um investimento de R$ 20 milhões neste ano.

Em 2019, a Smiles planeja investir mais R$ 50 milhões na unidade, incluindo despesas com marketing para acelerar o crescimento da operação no país vizinho. A subsidiária argentina começou a ser montada no ano passado. Para comandar o negócio, a empresa elegeu André Fehlauer, que já era diretor de produtos da Smiles desde 2013.

O executivo montou uma operação com cinco gerentes, contratados na Argentina. A unidade terá em torno de 30 pessoas até meados de 2019, segundo Fehlauer. Para se ter uma base de comparação, a Smiles como um todo emprega atualmente 122 pessoas. `Estou contratando profissionais argentinos, que têm conhecimento mais profundo do mercado`, disse Fehlauer. Leonel Andrade, presidente da Smiles, disse que a meta é que a operação na Argentina represente 10% dos negócios da Smiles no prazo de três a cinco anos.

`O mercado da Argentina eqüivale de 25% a 30% do mercado brasileiro de cartões. No longo prazo, acredito que a Smiles Argentina pode representar de 25% a 30% dos negócios da companhia`, afirmou Andrade. Mesmo sem fazer nenhuma ação específica na Argentina, a Smiles possui no país aproximadamente 300 mil clientes, ou 2% do total de usuários cadastrados. Atualmente, para ter acesso ao programa de fidelidade, os argentinos precisa ter o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) brasileiro. Também é necessário usar cartão de crédito internacional e fazer os pagamentos em dólar.

Com a operação local, disse Fehlauer, os argentinos poderão se cadastrar usando o documento nacional de identidade argentino (DNI). Os clientes também poderão usar cartão de crédito local para fazer os pagamentos. Os pagamentos serão feitos em pesos argentinos. `A companhia vai fazer uma gestão de caixa mais forte na Argentina, para evitar perdas com variação cambial`, afirmou Fehlauer. Além disso, os clientes poderão usar milhas acumuladas na Smiles para adquirir passagens aéreas dentro da Argentina ou com destino para outros países que não o Brasil. A Gol mantém na Argentina parceria com a Aerolíneas Argentinas. A empresa também possui parcerias com 18 empresas aéreas no mundo.

Atualmente, entre 55% e 60% dos voos que ligam Brasil e Argentina são feitos pela Gol e pela Aerolíneas Argentinas. Em 2017, a Gol transportou 3,8 milhões de passageiros na Argentina. O programa de fidelidade da Aerolíneas Argentinas tem participação de 3% na venda de bilhetes da companhia, indicando que há espaço para a Smiles se instalar e crescer no segmento, avalia Fehlauer. No país vizinho, a empresa busca principalmente acordos com bancos. A Argentina possui quase 60 bancos e cada um deles tem seu programa de fidelidade.

Entre os três maiores emissores de cartões de crédito na Argentina, apenas o Bilbao Vizcaya tem um acordo com a Latam. O Santander possui acordo com a American Airlines, que não exige exclusividade. E o Banco Galicia não possui contrato com nenhuma empresa aérea. `Visitei os bancos na Argentina oferecendo parceria com o programa de milhagem e, por enquanto, a receptividade foi boa`, disse Fehlauer. A Smiles já fechou parceria com o Banco Patagônia e a American Express na Argentina e está em processo de fechar outras parcerias no país, segundo o executivo.

Andrade disse também que a Smiles pretende consolidar a operação na Argentina antes de buscar expansão em outros mercados. Em longo prazo, um dos países em foco para ganhar uma subsidiária é o Uruguai. (CB)

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino