Setor automotivo no Brasil prega ponderação

Setor automotivo no Brasil prega ponderação

0 setor automotivo brasileiro tenta evitar que os efeitos do surto de coronavírus que atingem a China respinguem no país antes da hora.

Apesar de nos últimos dias grandes montadoras terem anunciado fechamento de fábricas ou alertado para esse risco, no Brasil o discurso tem sido de prudência para evitar especulações. Nesta semana, cm dois eventos separados, as lideranças da Anfavea( representante das montadoras) e da Fenabrave (das concessionárias) insistiram que as linhas dc montagem não correm risco dc reduzirem a vclocidade ou de pararem no curto prazo.

Ontem, durante apresentação dos números relativos a janeiro, o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, minimizou os efeitos do coronavírus no Brasil. Ele disse que até o momento não hâ nenhum impacto e as montadoras estão monitorando, junto com as matrizes, os possíveis problemas com seus fornecedores chineses.

`Dependendo do componente o estoque pode ser de três ou quatro meses``, afirmou. Moraes destacou que existe tambem um acompanhamento´ dc todos os fornecedores, não apenas os chineses, já que os produtos do país asi ã ric o estão presentes em vários níveis da cadeia automotiva. `O fornecedor do fornecedor pode ter problemas também`, disse.

Na terça-feira, o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Jr` tambem na divulgação dos dados dc janeiro, já tinha adotado o mesmo tom de prudência, Ele descartou o risco de falta dc produ tos no curto prazo.

Os números da Anfavea mostraram a produção de veículos 3,9% menor em janeiro na comparação anual, com 191,4 mil unidades. Em relação a dezembro houve aumento de 12 No rnes passado foram licenciados 193,5 mil veículos, queda dc 3,2% sobre janeiro dc 2.019. Ante dezembro a perda foi de 26,3%. As exportações do setor continuam caindo. Em janeiro foram embarcadas 20 mil unidades, 20% a menos na comparação com mesmo mês do ano passado. Em relação a dezembro a queda foi dc 30,9%, Com isso a reccita com exportações cm janeiro somou US$ 493,9 milhões, valor 30,6% menor na comparação anual e 24,4% inferior ante o rnes anterior.

O número de empregos no setor também caiu neste início dc ano. As montadoras fecharam janeiro com 135,9 mil funcionários,3,5%a menos do que há um ano e praticamente estável ante dezembro.  A retomada no nível de emprego não tem acompanhado o ritmo de alta na produção. O setor tem, assim. recuperado parte da produtividade perdida no período da crisc. Moraes, no entanto, destaque que as demissões nos anos dc crise também não seguiram a queda na produção. (ver gráfico acima)

Moraes fez ontem uma retrospectiva do setor nos últimos dez anos. Falou sobre as mudanças no perfil do consumidor e nas características dos veículos nesse período, mas centrou seu discurso na necessidade dc uma revisão tributária. A carga tributária varia de 27% a 3 0% dependendo da motorização do veículo.. `0 sistema tributário d estro i as exportações.``

Já sobre o Salão do Automóvel de 2020, o presidente da Anfavea disse que a desistência de várias montadoras em participar do evento mostra que e preciso discutir o formato e principalmente os custos de sua realização. `A função da Anfavea e colaborar na redefinição do seu formato para tornar o salão economicamente viável. 0 setor está mudando e o salão tambem precisa mudar,`

0 dirigente lembrou que os principais salões do setor no mundo enfrentam o mesmo tipo de questionamento, Ele citou Detroit, Frankfurt e Tóquio.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino