Representantes do turismo se reúnem no Rio para discutir febre amarela

Representantes do turismo se reúnem no Rio para discutir febre amarela

30/01, 16:02 - Objetivo é tranquilizar visitantes sobre os riscos de contrarir a doença no estado

RIO - O turismo também vestiu a camisa na campanha para divulgar informações sobre a febre amarela. Nesta terça-feira, o Hostel Hilton realizou um encontro entre autoridades e representantes do setor para discutir o tema, com foco no carnaval. O objetivo é tranquilizar os visitantes quanto aos riscos de contrair a doença no estado.

— A febre amarela que atinge o estado é silvestre, transmitida, apenas, em regiões de matas e florestas. Não há sinal do vírus na capital, nem proibição de passeios em nenhum atrativo turístico da cidade — garantiu o secretário estadual de Turismo, Nilo Sergio Felix.

Além de Felix, participaram do evento o secretário estadual de Saúde, Luiz Antonio de Souza Teixeira Júnior, e os cônsules dos principais países emissores de turistas, como Argentina, Chile, Estados Unidos, França e representante do Consulado do Canadá. Dirigentes das principais entidades do turismo também estiveram presentes.

Luiz Antonio afirmou que o controle da doença no estado é feito desde janeiro de 2017, quando foram detectados casos em Minas Gerais e Espírito Santo:

— O Rio de Janeiro foi o Estado que mais aplicou doses até agora. São mais de 8 milhões de pessoas imunizadas, que equivale a 61,4% do público-alvo — informou.

Ainda segundo o secretário, a Organização Mundial da Saúde determinou, em abril do ano passado, que todos os turistas que viessem para o Rio de Janeiro fossem vacinados.

— A recomendação não é recente, referente aos últimos casos. É um cuidado que muitos países tropicais tomam. Reafirmo que não há sinal do vírus na Capital. A orientação principal é que os turistas que não estiverem vacinados não façam visitas a trilhas e floresta.

 
www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino