Produção agroindustrial volta a perder força

Produção agroindustrial volta a perder força

Após disparar em maio, o índice de Produção Agroindustrial Brasileira (PIMAgro) calculado pelo Centro de Estudos em Agronegócios da Fundação Getulio Vargas (FGV Agro) voltou à espiral de variações negativas que deu o tom desde o início do ano e encenou junho em baixa de 5% ante o mesmo mês de 2018.

Mesmo assim e graças a maio, quando houve avanço de 13,5% na comparação com um ano antes, quando aconteceu a greve dos caminhoneiros , o indicador fechou o primeiro semestre com expansão de 0,3%. Apesar do leve crescimento, informou o FGV Agro, o desempenho do setor foi mais acelerado que o da indústria em geral, que no mesmo periodo registrou baixa de 1,6%.

O indicador é calculado com base em dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF) do IBGE e nas variações do índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), da taxa de câmbio e do índice de confiança do Empresário da Indústria de Transformação (ICI) da FGV. E, segundo o levantamento, o resultado de junho foi determinado por retrações em todos os segmentos.

No acumulado do primeiro semestre, a pequena variação positiva obseivada foi garantida pelo crescimento de 1,3% do giitpo formado por produtos alimentícios e bebidas. O avanço, como destacou o FGV Agro, compensou a queda de 0,8% dos produtos não alimentícios.

 `Para esse cenário, é pressuposto um crescimento fraco, porém positivo, do PIB (0,8%) em 2019. Mas, ao mesmo tempo em que a melhora nas expectativas é benéfica para expandir a produção do setor, ela também mantém a taxa de câmbio em patamares mais baixos, tirando força das exportações`,

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino