BC da Argentina acelera financiamento do governo antes das primáriaslegislativas

BC da Argentina acelera financiamento do governo antes das primáriaslegislativas

O pleito definirá os candidatos que disputarão as eleições legislativas de 14 de novembro para renovar parte da Câmara dos Deputados e do Senado

O Banco Central da Argentina repassou 60 bilhões de pesos (cerca de US$ 5,88 bilhões) ao Tesouro no início de setembro para ajudar a financiar o déficit fiscal do país em meio às dificuldades de endividamento por parte do governo de Alberto Fernández, segundo informa o jornal “Ámbito”.

Os repasses ocorrem às vésperas das primárias legislativas, que serão realizadas neste domingo. O pleito definirá os candidatos que disputarão as eleições legislativas de 14 de novembro para renovar parte da Câmara dos Deputados e do Senado. As primárias praticamente antecipam o resultado das eleições, por isso a preocupação do governo e dos partidos de oposição com o desempenho de domingo.

Com a proximidade das eleições e a tensão política na Argentina, o dólar no câmbio paralelo continuava na manhã desta quinta-feira no maior valor desde o início do ano, sendo negociado a 187 pesos.

Pelo Twitter, o economista Juan Ignacio Paolicchi, da consultoria Empiria, questionou os repasses do BC ao Tesouro e destacou que os valores estão aumentando à medida que as primárias se aproximam.

“Já são 440 bilhões de pesos até agora no segundo trimestre [contra 330 bilhões no primeiro]”, disse ele em uma rede social. “Complicado para a prévia eleitoral.”

A popularidade de Fernández vem despencando nos últimos meses devido à realização da festa de aniversário da primeira-dama do país durante o período mais rígido da quarentena contra a covid-19 em 2020.

Além disso, os argentinos estão cada vez mais insatisfeitos com a situação econômica do país. O aumento dos gastos do governo às vésperas das primárias, somado com a desvalorização cambial, pode pressionar ainda mais a inflação, que já é superior a 50% em 12 meses.