Brasil tenta agilizar resgate de brasileiros na Argentina e Venezuela

Brasil tenta agilizar resgate de brasileiros na Argentina e Venezuela

Cerca de 5 mil pessoas ainda tentam retornar ao Brasil devido à pandemia do novo coronavírus. Itamaraty monitora pedidos.

O Itamaraty vem tendo dificuldades para monitorar os cerca de 5 mil brasileiros que ainda estão no exterior tentando ajuda para retornar ao país. Com a suspensão de voos e o fechamento de muitos espaços aéreos devido ao isolamento no combate ao novo coronavírus, o momento é de preocupação. Dois casos de estudantes retidos na Argentina e de 46 cidadãos na Venezuela estão entre as prioridades.

O órgão informou que está trabalhando para que aqueles que ainda estão enfrentando problemas em seu retorno possam se juntar aos 11,9 mil brasileiros que foram repatriados desde o início da crise de COVID-19.

"Temos conhecimento dos brasileiros retidos na Venezuela neste momento. Antes da adoção das medidas de isolamento decretadas naquele país, o Itamaraty ofereceu alternativas de transporte terrestre, as quais não foram aceitas. As severas restrições de movimentação decretadas naquele país desde então reduziram consideravelmente as opções de repatriação disponíveis, mas continuamos a buscar formas de trazer os brasileiros de volta para o país”, informou o órgão por meio de nota.

No caso da Argentina, o Itamaraty disse que embora os estudantes não se enquadrem na categoria de não residentes no país, as representações brasileiras estão buscando viabilizar transporte terrestre, mediante negociação com as autoridades daquele país, que se encontra com severas limitações de movimentação rodoviária, para repatriar os brasileiros.

O Itamaraty informou ainda que tem ciência de que não há transporte regular terrestre em decorrência da crise provocada pela pandemia. Ainda assim, foi possível organizar transporte extraordinário, mediante negociação com governo argentino. Uma definição sobre a data de partida deve acontecer hoje, no mais tardar esta semana.