Presidente do Peru nomeia economista de extrema esquerda para presidência do Conselho de Ministros

Presidente do Peru nomeia economista de extrema esquerda para presidência do Conselho de Ministros

17:29 - Nomeação de Guido Bellido é vista como sinal da pressão que o partido Peru Livre pode exercer sobre Castillo para que aprove reformas mais radicais, principalmente na economia

Empossado na quarta-feira na Presidência do Peru, Pedro Castillo nomeou nesta quinta-feira o deputado Guido Bellido como presidente do Conselho de Ministros, cargo que no Peru tem uma função semelhante à de um primeiro-ministro.

Bellido é do partido de extrema esquerda Peru Livre, o mesmo pelo qual Castillo foi eleito, e sua nomeação é sinal da pressão que a sigla pode exercer sobre o programa do presidente eleito, que vinha se se aproximando de forças de centro-esquerda e em seu discurso de posse prometeu reformar a economia peruana "com responsabilidade".

Pouco conhecido no meio político de Lima, Bellido, de 42 anos, foi eleito deputado por Cusco em abril, é mestre em economia e trabalhou para o organismo estatal de estatística. Em sua cerimônia de posse, ele discursou em quéchua:

— Pelos mais de 30 milhões de irmãos, pela luta contra a corrupção, pelo trabalho pelo nosso povo peruano — disse.

O novo presidente ainda não anunciou seu ministério completo, cuja posse está prevista para esta sexta-feira. A expectativa é de que para a pasta da Economia seja nomeado o economista de centro-esquerda Pedro Francke, professor da Universidade Católica do Peru que assessorou Castillo no segundo turno da campanha.

A Francke é atribuída a maior parte das propostas feita pelo presidente na posse, quando pediu um "novo pacto" com os investidores privados, prometendo segurança jurídica em troca de uma melhor distribuição da riqueza e respeito ao meio ambiente.

A nomeação do chefe do Conselho de Ministros foi anunciada por Castillo na província andina de Ayacucho, no Sul do Peru, onde o presidente participou de um segundo juramento simbólico na Pampa de la Quinua, palco da batalha que há dois séculos selou a independência do Peru.

Em seu discurso, ele convocou todos os governadores regionais e prefeitos, com os quais se reunirá nas próximas semanas, a “tirar os sapatos e trabalhar pelo país”.

— Peço a todos que estejam vigilantes para que prefeitos, governadores, ministros e congressistas trabalhem para o Peru. Serei o primeiro a punir a autoridade que rouba um centavo — acrescentou disse.

Castillo, um professor rural e sindicalista que nunca exerceu cargos públicos, filiou-se ao Peru Livre no ano passado. O partido é dirigido pelo médico Vladimir Cerrón, ex-governador da província de Junín que não pôde se candidatar à Presidência devido a uma condenação por corrupção. Guido Bellido é tido como um nome próximo a Cerrón.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino