Portugal decide não recomendar vacina da AstraZeneca em idosos acima de 65 anos

Portugal decide não recomendar vacina da AstraZeneca em idosos acima de 65 anos

12:54 - Imunização continue recomendada caso imunizante da farmacêutica seja o único disponível; países europeus questionam dados de eficácia tidos como insuficientes

LISBOA — O Ministério da Saúde de Portugal anunciou nesta segunda-feira que a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca não deve ser administrada em adultos com mais de 65 anos, levantando dúvidas sobre o uso do fármaco em idosos. A posição portuguesa fortalece o coro de países europeus que expressaram reservas a respeito de sua eficácia acima desta faixa etária. As reservas foram manifestadas pela primeira vez na Alemanha, no fim de janeiro.

Apesar do posicionamento, a pasta esclareceu que a vacinação de uma pessoa de 65 anos ou mais não deverá ser adiada se a vacina da AstraZeneca for a única disponível. Portugal já registrou 765.414 casos de coronavírus e 14.158 mortes.

A apreensão em torno do uso da vacina da AstraZeneca em idosos com mais de 65 anos se deve aos fato de que alguns países considerarem estatisticamente baixo o número de voluntários nesta faixa etária que foram testados.

No entanto, ao liberar o uso emergencial da fórmula, a Agência Europeia de Medicamentos, a reguladora da União Europeia, não fez reservas ao uso da vacina em idosos.

Além da Alemanha, França, Áustria e Noruega dizem que só a administrarão a vacina da AstraZeneca a pessoas de menos de 65 anos, a Polônia a limitará a pessoas de menos de 60 anos e Espanha e Itália a pessoas de menos de 55 anos.

A primeira leva de vacinas da AstraZeneca, de 42.300 doses, chegou a Portugal no último domingo. Até agora, o país recebeu pouco menos de 390 mil doses da vacina da Pfizer/BioNTech e 19.200 da vacina da Moderna, disse o Ministério da Saúde.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino