Plano de ajuda humanitária à Venezuela será mantido, diz porta-voz do governo

Plano de ajuda humanitária à Venezuela será mantido, diz porta-voz do governo

21/02 - 20:11 - O porta-voz da Presidência da República, Otávio do Rêgo Barros, afirmou em entrevista a jornalistas nesta quinta-feira, 21, transmitida na televisão pela NBR, que a segurança na faixa da fronteira com a Venezuela é “normal”. Segundo ele, não houve mudança de comportamento após o anúncio do presidente venezuelano Nicolás Maduro de que o acesso ao Brasil seria fechado a partir das 20h. “Caminhamos de forma alinhada com o governo de Roraima para dirimir qualquer problema”, afirmou. “A operação humanitária terá início no dia 23”.

Mais cedo, o governador de RR, Antonio Denarium (PSL) disse que a fronteira terrestre entre Brasil e Venezuela havia sido fechada por tanques de tropas venezuelanas por volta das 15h20. O porta-voz afirmou, contudo, que a fronteira estava aberta, com fluxo normal. Depois disso, Denarium recuou, afirmando que a confirmação do fechamento só ocorrerá na sexta-feira, 22.

Rêgo Barros disse ainda que tropas brasileiras continuam em “operação de normalidade” e que a situação do país vizinho está sendo monitorada. ‘O planejamento do governo estabelece como linha limítrofe a própria fronteira’.

‘Não há outra solução’. O vice-presidente Hamilton Mourão, escalado pelo presidente Jair Bolsonaro para ir até Bogotá, na Colômbia, na próxima segunda-feira, 25, para representar o Brasil na reunião do Grupo de Lima e discutir os desdobramentos da crise, reforçou que o Brasil não tem intenção de entrar na Venezuela.

“A ideia sempre foi e sempre será colocar suprimento na fronteira da Venezuela”, disse ele. ‘Nossa ação sempre será no sentido da não intervenção’. Mourão ainda falou sobre a possibilidade de corte de energia da Venezuela – “possível, mas não provável” – e ressaltou que “não há outra solução (para a crise) a não ser a saída de Maduro”.

 
www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino