OMS, FMI, OMC e Banco Mundial pedem apoio para plano de US$ 50 bi de combate à covid-19

OMS, FMI, OMC e Banco Mundial pedem apoio para plano de US$ 50 bi de combate à covid-19

13:19 - Diretores das quatro instituições disseram que, caso os países demorem a agir, o mundo correrá o risco de enfrentar ondas contínuas de casos da doença e variantes mais mortais do vírus

Os diretores de quatro das principais instituições internacionais pediram nesta terçafeira (1º de junho) que os países financiem urgentemente um plano de US$ 50 bilhões para acelerar a produção e a distribuição global de vacinas contra a covid19. A meta é “acabar com a pandemia” já em 2022.

Durante um evento virtual, os líderes da Organização Mundial da Saúde (OMS), do Fundo Monetário Internacional (FMI), da Organização Mundial de Comércio (OMC) e do Banco Mundial disseram que, caso os países demorem a agir, o mundo correrá orisco de enfrentar ondas contínuas de casos da doença e pode ter que lidar com variantes mais mortais do vírus, prejudicando a recuperação econômica global.

O plano de US$ 50 bilhões para “acabar com a pandemia” no próximo ano foiapresentado pelo FMI em maio. Segundo a entidade, os recursos são necessários para vacinar pelo menos 40% da população global ainda neste ano, percentual que poderia chegar a 60% até o primeiro semestre de 2022.

Para que a estratégia seja implementada, os diretores das quatro instituições pedem o financiamento total do Covax Facility e do ACT Accelerator, dois programas liderados pela OMS para acelerar o desenvolvimento, a produção e o acesso a testes, tratamentos e vacinas contra a covid-19.

“A esta altura, já ficoubastante claro que não haverá uma recuperação ampla sem o fim da crise de saúde. O acesso à vacinação é fundamental para ambos”,disseram os diretores da OMS,OMC, FMI e Banco Mundial em um comunicado conjunto.

“A distribuição desigual de vacinas não está apenas deixando incontáveis milhões de pessoas vulneráveis ao vírus. Também está permitindo que variantes mortais surjam em todo o mundo”, acrescentaram os líderes das instituições. “Não precisa ser assim.

É por isso que, hoje, pedimos um novo nível de apoio internacional para a implementação de uma estratégia coordenada para vacinar o mundo.”

Em um discurso durante o evento, a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, voltou a destacar que a melhor política econômica a ser adotada pelos países é o combate à pandemia. Segundo os cálculos da entidade, o plano para acelerar a vacinação pode adicionar US$ 9 trilhões ao Produto Interno Bruto (PIB) global até 2025.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino