Novo programa do FMI com Argentina não deve ser instituído até início de 2021, diz ministro

Novo programa do FMI com Argentina não deve ser instituído até início de 2021, diz ministro

12:17 - Argentina enfrenta um déficit fiscal crescente, inflação alta e uma taxa de câmbio distorcida, situação agravada sob a pressão da pandemia de coronavírus.

A Argentina e o Fundo Monetário Internacional (FMI) provavelmente não chegarão a um acordo sobre um novo programa de financiamento até o início do ano que vem, disse nesta terça-feira o ministro da Economia do país sul-americano.

O governo, que chegou a um acordo provisório com seus credores na semana passada para reestruturar US$ 65 bilhões em dívida externa, agora está focado na negociação de um novo programa com o FMI. O novo programa substituirá um acordo de financiamento de US$ 57 bilhões com o Fundo, criado em 2018.

"Essa será uma negociação difícil e complexa", disse o ministro da Economia, Martín Guzmán, em entrevista à estação de rádio local Metro 95,1.

"Vai levar meses. É até possível que um acordo só seja alcançado no início do ano que vem", disse Guzmán.

A Argentina enfrenta um déficit fiscal crescente, inflação alta e uma taxa de câmbio distorcida, situação agravada sob a pressão da pandemia de coronavírus. A economia deve registrar contração de mais de 10% este ano.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino