Na Argentina, atividade econômica cresce 2,5% em junho

Na Argentina, atividade econômica cresce 2,5% em junho

19/08 É a primeira alta mensal após 4 meses seguidos de queda; na base anual, indicador cresceu 10,8%

O índice que mede a atividade econômica da Argentina cresceu 2,5% em junho em relação a maio, informou nesta quinta-feira (19) o Instituto Nacional de Estatística e Censos (Indec). Essa foi a primeira alta mensal após quatro meses consecutivos de queda, as duas últimas causadas por restrições impostas pelo governo para conter novo surto de covid-19. Em maio, por exemplo, a atividade econômica no país havia caído 2% ante abril.

Na comparação anual, o Índice Mensal de Atividade Econômica (Emae) cresceu 10,8% e acumula uma alta no primeiro semestre de 9,7%, segundo o relatório do Indec. No entanto, essa magnitude do crescimento está distorcida devido à base de comparação, já que em junho do ano passado a Argentina estava sob um rígido lockdown para conter a primeira onda de casos de covid-19.

O Indec informou que 13 dos 16 setores que formam o Emae registraram altas interanuais. Pesca (108,7%), outras atividades de serviços comunitários, sociais e pessoais (79,4%), e construção (32,3%) foram os que registraram maior crescimento em junho na comparação com 2020.

Os dois únicos setores que recuaram na base anual foram o de intermediação financeira (-0,9%) e o de agricultura, pecuária, caça e silvicultura (-4,5%).

Comércio exterior

O Indec também publicou hoje dados sobre o comércio exterior. Em julho, a Argentina registrou um superávit de US$ 1,537 bilhões, elevando o saldo positivo no ano para 8,31 bilhões.

O superávit em julho foi resultado de US$ 7,252 bilhões em exportações, alta de 47,1% em relação ao ano passado, ante a US$ 5,715 bilhões em importações, que avançaram 65,6% na mesma base de comparação.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino