Ministro de Temer vai aos EUA avaliar situação de crianças brasileiras separadas dos pai

Ministro de Temer vai aos EUA avaliar situação de crianças brasileiras separadas dos pai

13/07/18 - 19:39 - Ministro dos Direitos Humanos, Gustavo do Vale Rocha, se reunirá com representações da ONU neste sábado. Em junho, governo disse que poderia enviar avião para buscar famílias.

Braitner Moreira e Marília Marques

ministro dos Direitos Humanos, Gustavo do Vale Rocha, viaja neste sábado (14) aos Estados Unidos para avaliar a situação das cerca de 50 crianças brasileiras separadas de seus familiares quando tentavam entrar de forma ilegal no país. A informação foi confirmada ao G1 pelo Palácio do Planalto.

A agenda prevê reuniões em Boston, Nova York e Washington, com representantes da Organização das Nações Unidas e da Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Apesar dos encontros, ainda não há uma definição sobre o destino dessas famílias detidas pelo governo de Donald Trump.

Nas últimas semanas, governantes e jornalistas de diversos países relataram a dificuldade em obter relatórios sobre a situação nos abrigos. Em junho, o Ministério das Relações Exteriores classificou a política imigratória de separação familiar vigente à época como uma "prática cruel".

Cenário incerto

Na nota enviada ao G1, a Presidência da República reafirma que está disposta a colaborar com o retorno das famílias ao Brasil. Antes disso, porém, é preciso saber quando e se elas serão soltas, e se os grupos têm interesse em retornar ao país de origem.

"Quando houver a liberação das famílias por parte do governo americano e se houver interesse delas em retornar para o Brasil, o governo irá colaborar com o transporte dos menores brasileiros juntamente com seus familiares", diz o comunicado.

Em junho, durante a visita ao Brasil do vice-presidente dos EUA, Mike Pence, Michel Temer afirmou que estava disposto a "colaborar" com o retorno das crianças que, naquele momento, estavam separadas dos pais.

Temer chegou a dizer, em conversa com jornalistas, que um avião da Força Aérea Brasileira poderia ser enviado aos Estados Unidos para esse traslado. Na nota mais recente, enviada nesta sexta (13), a Presidência da República não detalha se pretende recorrer à FAB ou à aviação comercial.

50 crianças nos EUA

A separação de pais e crianças na tentativa de entrar nos EUA faz parte da política de "tolerância zero" do governo de Donald Trump contra a imigração ilegal. Os meninos e meninas retidos estão em abrigos, entre as mais de 2 mil vítimas dessa medida.

A política migratória americana estabelece que todo adulto que for pego atravessando a fronteira ilegalmente deve ser criminalmente processado. Se for capturado, o indivíduo é levado a um centro federal de detenção de imigrantes até que se apresente a um juiz.

A política não fala em separação das famílias, porém, isso acabava ocorrendo na prática já que as crianças não podem ser mantidas nestes centros de detenção.

No mês passado, no entanto, após repercussão dos casos, o presidente americano cedeu às pressões e assinou uma ordem para evitar a separação dos imigrantes que cruzarem a fronteira com o México.

Segundo a nova ordem, famílias imigrantes que entrarem ilegalmente nos EUA serão detidas juntas. Trump mandou o Departamento de Defesa tomar as medidas para acolhê-las da forma necessária.

O que acontece com as crianças?

Quando a medida de separação estava em vigor, as crianças afastadas dos pais eram designadas pelo governo como "crianças imigrantes desacompanhadas" e, por isso, levadas para abrigos sob custódia do governo, sem saber para onde seus pais foram.

Na época, imagens que repercutiram na web mostraram crianças dentro de grades, dormindo em colchões no chão com cobertores de alumínio. Em um áudio divulgado em junho, crianças foram ouvidas chorando ao serem separadas da família.

O arquivo foi entregue à advogada de direitos humanos Jennifer Harbury por um denunciante. O local exato da gravação não foi divulgado.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino