México busca ocupar vaga do Brasil no mundo; EUA reagem

México busca ocupar vaga do Brasil no mundo; EUA reagem

O México, que já tinha o secretário-geral da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e era do Conselho Econômico e Social da ONU, foi eleito na quarta (17) para o Conselho de Segurança.

O jornal Reforma ouviu de especialistas da Unam (Uni versídade NacionalAutônoina do México) que `é hora de recuperar a presençano exterí or`, deixando para trás a marca de país `isolado`.

Na semana passada, como noticiado por Bloomberg e outros, o México lançou o negociador de seu novo acordo comercial com os EUA para diretor-geral da OMC (Organização Mundial do Comércio), apôs a renúncia do brasileiro Roberto Azevêdo. Emparteparaquebrara resistência por suas `relações próximas com os EUA`,

Jesús Seade já deu entrevista ao South China Moming Post, prometendo `trazer EUA e China de volta à mesa`, e vem surgindo na mídia dos Emirados Árabes às Filipinas. Mas o México pode ter exagerado. Como divulgaram Reforma e outros mexicanos, ecoando por Associated Press e outras agências, o presidente Andiés ManuelLópez Obrador declarou dias atrás que forneceria gasolina à Venezuela, se o paíspedisse.

Ato contínuo, AMLO foi atacado em midia social por, entre outros, um senador republicano da Flórida e na noite de quinta, viaReuterí, já pareceram as primeiras sanções dos EUA contra empresas e cidadãos mexicanos `porvínculos com a Venezuela`. oea & bolsonaro O secretário-geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), o uruguaio Luis Almagro, saiu em defesa de Jair Bolsonaro e contra o New York Times, após a publicação da reportagem de capa `Ameaças de ação militar abalam Brasil`.

Compartilhou carta do embaixador do Brasil em Washington, criticando o jornal, por supostamente considerá-la `de interesse público`. oea vs. nyt Pouco depois, o mesmo Almagro soltou comunicado da OEA com ataques ao que chama de `campanha de difamação` do NYT por reportagem anterior mostrando que `era falho` o relatório da organização que levou ã anulação das eleições na Bolívia e ao exílio de Evo Morales. Jornalistas do NYT responderam que `o release não questiona nenhum fato`, é cheio de `hipérboles trumpianas` e se mostra parte de uma `tendência repulsiva` ´brazil? no good´

Em longa entrevista ao Wall Street Journal, sem precisar de uma pergunta, o presidente Donald Trump voltou a usar Bolsonaro para defender a sua própria atuação no combate ãpandemia. `Nós fizemos a coisa certa`, afirmou ele. `Nós fechamos. É caro, mas você não pode colocar um preço para salvarmilhões devidas. Nós salvamos milhões de vidas. Como [a estratégia de imunidade de] rebanho funcionou para o Brasil? Nada bem.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino