Coronavirus  ●  Islas Malvinas  ●  Mercosur  ●  Mercosur-UE  ●  Venezuela

Maduro anuncia nova edição do Foro de São Paulo

Maduro anuncia nova edição do Foro de São Paulo

A reunião do Foro, que deve acontecer em Caracas entre 22 e 24 de janeiro, pode ficar esvaziada; poucos líderes já confirmaram presença.

O ditador venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou na noite da última terça (7) que seu país vai receber no final do mês um novo encontro do Foro de São Paulo, que reúne partidos, governos e movimentos de esquerda da América Latina.

`A ideia é organizar a agenda para este ano de 2020` disse Maduro em um estádio de beisebol em La Guaira.

O anúncio foi feito horas depois de deputados chavistas e opositores entrarem em confronto na sede da Assembléia Nacional cada lado elegeuum presidente para o comando da Casa.

A reunião do Foro, que deve acontecer em Caracas entre 22 e 24 de janeiro, pode ficar esvaziada; poucos líderes já confirmaram presença.

Maduro não especificou quem fará parte da lista de convidados, mas um comunicado de seu partido, o PSUV, mencionou alguns nomes.

Entre eles, estão o dirige nte do regime ditatorial de Cuba, Miguel Díaz-Canel, edois líderes dissidentes das antigas Fare (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), Iván Márquez e Jesus Santrich a dupla rompeu com oco mando do grupo em agosto e anunciou a retomada da luta armada.

A presença do brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, chegou a ser especulada, mas pessoas próximas ao ex-p residente afirmaramque ele não vai.

O Foro de São Paulo foi do pelo então líder opositor - e posteriormente presidente venezuelano- Hugo Chávez, em 1998. Na década seguinte o grupo ganhou força com a chegada de diversos representantes da esquerda ao poder na América Latina.

Como a maioria deles já deixou o poder, os últimos encontros do Foro ficaram esvaziados. O mais recente, em junho, também em Caracas, quase não contou com a presença de chefes de Estado.

Quem tem ganhado força e o Grupo de Puebla, também voltado para debater rumos da esquerda na região. Na primeira reunião, o reeém-eleito presidente da Argentina, Alberto Femãndez, deixou clara a ambição de liderar uma esquerda moderada na região.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino