Macron diz que França continuará se opondo a acordo com Mercosul

Macron diz que França continuará se opondo a acordo com Mercosul

17:24 - O presidente da França, Emmanuel Macron, disse que manterá sua oposição ao acordo comercial entre União Europeia e o Mercosul

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse nesta sexta-feira que Paris manterá sua oposição ao acordo comercial entre a União Europeia (UE) e o Mercosul quando a França assumir a presidência rotativa do bloco, no começo de 2022.

A oposição do presidente francês continua se concentrando na proteção do clima e da biodiversidade. “A França é contra o Mercosul tal como é negociado hoje, e vamos continuar sendo, muito claramente. Não porque não nos sintamos confortáveis com nossos amigos do Mercosul, e sim porque, por definição, esse acordo, tal qual foi concebido e desenhado, não pode ser compatível com nossa agenda climática e de biodiversidade”, afirmou em Marselha, no Congresso Mundial da Natureza.

“Temos que reinventar nossas políticas comerciais, para que sejam coerentes com nossas políticas climáticas, com nossas políticas de biodiversidade. É uma necessidade”, assinalou Macron.

Concluído em junho de 2019, após 20 anos de negociações, o acordo de livre-comércio com os quatro países do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) gerou uma onda de críticas na Europa, principalmente por parte do setor agrícola e de ambientalistas.

O tratado foi negociado pela Comissão Europeia em nome dos países da UE, mas não será ratificado definitivamente até que o façam os parlamentos de todos os Estados-membros. Alguns países, como França e Alemanha, estão relutantes e questionam principalmente o compromisso do Brasil com o meio ambiente, sobretudo devido ao aumento dos incêndios na Amazônia.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino