Itamaraty identifica 300 brasileiros presos na África por causa da variante Ômicron

Itamaraty identifica 300 brasileiros presos na África por causa da variante Ômicron

18:19 - Ministério de Relações Exteriores diz que está acompanhando a situação e prestando assistência

O Itamaraty informou nesta terça-feira que cerca de 300 brasileiros, concentrados principalmente na África do Sul, pediram assistência para deixar o continente africano após a proibição de aterrissagem de voos por inúmeros países. A medida vem sendo tomada para evitar a disseminação da variante Ômicron.

Em nota, o Ministério de Relações Exteriores afirma que as embaixadas de países africanos estão “acompanhando atentamente” a situação de brasileiros impossibilitados de viajar e prestando a assistência. De acordo com a pasta, foi disponibilizado no portal consular um formulário virtual com essa finalidade.

A portaria nº 660, publicada na segunda-feira, proíbe voos internacionais com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem por África do Sul, Botsuana, Reino de Essuatíni, Reino do Lesoto, Namíbia e Zimbábue nos últimos 14 dias.

Os brasileiros podem retornar ao país, mas não conseguem encontrar voos. De acordo com a portaria, o viajante brasileiro procedente ou com passagem por esses países africanos, ao ingressar no território brasileiro deverá permanecer em quarentena por 14 dias na cidade do seu destino final.

“Os postos no exterior estão realizando gestões junto às companhias aéreas que atuam na região, com vistas a que os brasileiros possam embarcar, que haja voos ao Brasil, ou que rotas alternativas sejam encontradas”, diz a nota.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino