Inflação argentina força baixa em balanços de companhias brasileiras

Inflação argentina força baixa em balanços de companhias brasileiras

Empresas brasileiras que têm operações na Argentina precisaram fazer ajustes em seus balanços por causa da inflação no pais vizinho.

 Índice de preços ao consumidor amplo no país vizinho em 2018 teve a maior alta em 27 anos

Pelas normasintemac íonaLs decontabilidade, um país que acumula, em três anos, mais de ioo%deaumento éconsiderado uma economia altamente intlacionária, e as comp anhias precisam seguir uma regra específica em seubalanço. O resultado deve ser corri gido pelo índice locale depois convertido para a moeda do país da empresa.

Para a Ambev, isso teve o efeito de uma perda contável de R$ 557,8 milhões na receita anual. O lucro líq uido das Alpargatas foi diminuído em R$ 51,1 milhões por ajustes das operações na Argentina. `A lógica desses ajustes é a de reconhecer o valor justo dos ativos: se houve perda, é preciso marcar isso e fazê-lo de acordo com regras específicas`, diz Alexandre Chaia, professor de finanças do Insper.

A Argentina p assou de uma situação relativamente estável para um ambiente com classificação diferenciada, e as empresas são obrigadas a refletir a mudança em seus balanços, segundo Rogério Alexandre, professor da FIA. `O maior problema pai a as brasileirasemaaiy, no entanto, será a recessão argentina:´ O país terá eleições presidenciais em 2019, com pri meiro turno previsto para dia 27 de outubro.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino