Governo segura indicação de Eduardo a embaixada

Governo segura indicação de Eduardo a embaixada

Com resistência do Congresso a nomeação, presidente não quer risco de derrota

O presidente Jaír Bolsonaro (PSL) deve esperar ao menos mais uma semana para enviar ao Senado a indicação deseufilho Eduardo (PSL-SP) para o cargo de embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

Na visão de auxiliares do presidente, é preciso que o deputado tenha mais tempo para amadurecer um a simpatia a seu nome e quebrar resistências entre os senadores. A decisão de Bolsonaro indicar um de seus filhos para o posto foi alvo de críticas, inclusive dealguns apoiadores.

O governo estuda o momento apropriado de encaminhar a indicação, para evitar um constrangimento. Nesta quarta {14), o presidente admitiu dificuldades na aprovação.

Ele disse que sondagens do Planalto apontam uma `vantagem apertada` ao nome do filho no Senado e que o governo nã opode correr riscos.

`Não posso chegar lá com uma derrota, pega mal`, disse, ein referência a viagem que fará aos EUA em setembro.

`A gente não pode correr o risco. Aquele pessoal que ê do contra não falta. E o pessoal que ê favorável costuma faltar, então essa vantagem apertada não nos dá garantia`

Há ainda uma preocupação de lideranças governistas no Congresso de que a votação de Eduardo contamine a tramitação da reforma da Previdência no Senado.

O processo de aprovação tem inicio no Legislativo com apublicação no Diário Oficial da União. A indicação é encaminhada ao presidente do Senado. Davi Alcolumbre (DEM- AP), que a lê em plenário.

O indicado passa então por sabatina na CRE {Comissão de Relações Exteriores), que faz um parecer consultivo. A indicação segue para o plenário. Em votação secreta, o nome precisa da aprovação de mais da metade dos presentes.

Há 13 mensagens com in dicações de representantes diplomátícosainda não lidas por Alcolumbre, mas ele não descarta passara de Eduardo na frente das demais.

Senadores já manifestaram resistência quanto a nomeação do deputado, mas Bolsonaro tem a seu favor a atuação de aliados. Favorável à indicação, o presidenteda CRE, Nelsinho Trad (PSD-MS), deve indicar o governista Chico Rodrigues {DEM- RR) para relatá-la na comissão. Alé m dis so, Alcolumbre tem conversado com senadores e apontado que uma eventual rejeição da nomeação vai definir uma convivência conflituosa do Senado com o Planalto.

Ainda nesta quarta (14), o ministro do Supremo Tribuna] Federal Ricardo Lewandowski negou seguimento a mandado de segurança do Cidadania que visava suspender a indicação de Eduardo.

Na decisão, o ministro considerou que não cabia ao partido entrar como mandado no STF e nem chegou a analisar os argumentos da agremiação.

O Cidadania havia impetrado o mandado no dia 9, argumentando que a nomeação configura `evidente nepotismo`. Para a sigla, embora a interpretação dada à súmula do STF que dispõe sobre nepotismo não costumevedar nomeações de narentes para cargos como o de embaixador, está claro que Eduardo foi escolhido por ser filho do presidente.

Talita Fernandes e Gustavo Uribe

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino