Exclusivo: Anvisa avalia pedidos de 95 milhões de doses de Covaxin e Sputnik V

Exclusivo: Anvisa avalia pedidos de 95 milhões de doses de Covaxin e Sputnik V

Os dois imunizantes já foram rejeitados anteriormente pela agência, mas a chegada de novos documentos e informações nas últimas semanas pode reverter o quadro

A diretoria colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve se reunir na terça-feira, dia 1º de junho, para votar os pedidos de importação das vacinas Covaxin, da Índia, e Sputnik V, da Rússia. Em caso de liberação, cerca de 95 milhões de doses poderão entrar no Brasil e ajudar na aceleração da vacinação.

Os dois imunizantes já foram rejeitados anteriormente pela Anvisa, mas a chegada de novos documentos e informações nas últimas semanas pode reverter o quadro. Segundo o Valor apurou, atualmente, a situação é mais favorável para a Covaxin, apesar de ainda haver pendências.

O Ministério da Saúde tem acordo para a compra de 20 milhões de doses do imunizante indiano, desenvolvido pelo laboratório Bharat Biotech. A empresa esbarrou no primeiro pedido de certificação de boas práticas farmacêuticas, mas essa questão já foi superada.

No caso da Sputnik V, a situação é mais complexa. Após a primeira recusa para a importação de doses, em abril, novos documentos estão chegando à Anvisa, incluindo o relatório técnico que atesta a segurança e a eficácia. O documento, no entanto, não teria respondido a todas as dúvidas da agência.

Diferentemente do que aconteceu anteriormente, dessa vez, não há consenso entre os técnicos sobre a relação risco x benefício de liberar a importação da vacina russa. Para evitar que a falta de unanimidade coloque ainda mais pressão política sobre a agência, ainda não é descartada a possibilidade de a reunião de diretoria ser adiada.

Governadores do Norte, Nordeste e Centro-Oeste têm acordo para a compra de 65 milhões de doses da Sputnik V, enquanto o Ministério da Saúde se comprometeu com mais 10 milhões de doses. Alguns Estados apelaram ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar efetuar a compra, mas o veto da Anvisa adiou os planos.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino