EUA dizem que europeus negociam há meses com Maduro

EUA dizem que europeus negociam há meses com Maduro

Secretário de Estado americano afirma que não há indícios de que haverá eleições livres e justas na Venezuela.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse ontem na Costa Rica que houve inúmeras conversas com o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, mas ainda não há disposição de o regime chavista de realizar eleições livres. Em seguida, um funcionário do Departamento de Estado esclareceu que Pompeo se referia a negociações entre países europeus e Maduro nãoos EUA. `

Não houve demonstração de que ele está preparado para permitir eleições livres`, afirmou o chefe da diplomacia americana Pompeo respondeu às declarações de Maduro publicadas no Washington Post, nas quais defendia `respeito e diálogo` para resolver suas diferenças com os EUA. Falando ao lado do presidente da Costa Rica, Carlos Alvarado, Pompeo insistiu que não há nenhuma evidência de que Maduro estejainteressado em realizar eleições livres.

`Ele sabe que perderia`, disse Pompeo. AsituaçãonaVenezuela e na Nicarágua ocupougrande parte da conversa entre Alvarado e Pompeo. `As pessoas não querem que Maduro seja um tirano. Ele destruiu sua economia, criou uma das maiores crises humanas da historiadas Américas`, disse o secretário de Estado. Pompeo começou seu tour por América do Sul e Caribe na Colômbia, onde se encontrou, na segunda-feira, como líder opositor venezuelano, Juan Guaidó. Hoje, ele estará na Jamaica. Londres.

Após viajar para a Colômbia,desafiandoaproibição de deixar a Venezuela, Guaidó reuniu-se ontem em Londrescomopremiêbritânico, Boris Johnson, e o chanceler, Dominic Raab. Durante o encontro, Johnson prometeu trabalhar para que `se prestem contas` pela crise humana e a `ameaça à democracia` na Venezuela. Raab disse estar `horrorizado e preocupado com o que está ocorrendo na Venezuela`.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino