Escassez de semicondutores ameaça cortar produção mundial em até 7,1 milhões de veículos em 2021

Escassez de semicondutores ameaça cortar produção mundial em até 7,1 milhões de veículos em 2021

Toyota vai paralisar 14 fábricas mês que vem e Ford vai desativar unidade de picapes nos EUA. Interrupções no fornecimento de peças afetarão indústria até 2022

A escassez global de semicondutores cortará a produção mundial de automóveis em até 7,1 milhões de veículos este ano, e interrupções no fornecimento relacionadas à pandemia de Covid-19 prejudicarão a indústria até 2022, alerta a IHS Markit.

A falta de chips não deverá se estabilizar até o segundo trimestre do ano que vem, com a recuperação chegando somente no segundo semestre, acrescenta a IHS em seu relatório.

O panorama sombrio é mais uma prova de que a crise do chip está longe de terminar. E a previsão da empresa de pesquisa não inclui os últimos cortes da Toyota, que planeja interromper a produção em 14 fábricas no próximo mês e reduzir a produção em 40%.

“A situação ainda está repleta de desafios”, escreveram os analistas da IHS, Mark Fulthorpe e Phil Amsrud em seu relatório, acrescentando:

“Também estamos vendo volatilidade adicional devido às medidas de bloqueio da Covid-19 na Malásia, onde muitas operações de teste e embalagem de chips de back-end são realizadas.”

As baixas taxas de vacinação e o aumento das taxas de infecção no sudeste da Ásia estão levando ao fechamento de fábricas que montam todos os tipos de semicondutores, acrescenta a IHS.

Na quarta-feira, a Ford anunciou que desativará sua fábrica de picapes F-150 perto de Kansas City, no Missouri, na próxima semana "devido a uma escassez de peças relacionadas a semicondutores como resultado da pandemia de Covid-19 na Malásia".

A Toyota, que tinha estoques de chips e antes experimentava menos interrupções, citou o surto asiático da variante Delta do novo coronavírus para seus cortes de produção em setembro.

“Especialmente no sudeste da Ásia, a disseminação da Covid e os bloqueios estão impactando nossos fornecedores locais”, disse o diretor do Grupo de Compras da Toyota, Kazunari Kumakura.

Anteriormente, a IHS acreditava que a escassez de semicondutores iria reduzir a produção automotiva global em 6,3 milhões, mas diante deste cenário essa previsão passou para 7,1 milhões de veículos este ano, isso sem incluir os cortes da Toyota.

Somente no terceiro trimestre, até 2,1 milhões de unidades podem ser perdidas devido à falta de chips, acrescentou a agência de pesquisa.

O segundo trimestre de 2022 “pode ser o ponto em que esperamos a estabilização da oferta”, acredita a IHS, “com os esforços de recuperação agora começando apenas a partir do segundo semestre de 2022”.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino