Em resposta a Bolsonaro, China diz esperar respeito a regras sobre 5G

Em resposta a Bolsonaro, China diz esperar respeito a regras sobre 5G

Diplomata chinês diz esperar que leilão tenha regras objetivas, transparentes e não discriminatórias

A estocada de Jair Bolsonaro ao falar sobre o 5G no discurso à ONU, em que citou liberdade, soberania e proteção de dados como critérios, não foi ignorada pela China. “Esperamos que as regras [de definição do sistema] sejam objetivas, transparentes, não discriminatórias e respeitem as normas básicas do sistema econômico mundial”, disse Qu Yuhui, ministro-conselheiro da embaixada chinesa. A ordem, no entanto, é não elevar a temperatura e insistir no diálogo com o Brasil.

Os EUA têm trabalhado contra a chinesa Huawei no 5G em contatos com parlamentares e executivos. Não é pouco. Todd Chapman, embaixador no Brasil, já emplacou duas vitórias: ampliação da cota do etanol e uso da Base de Alcântara (MA).

Para as operadoras de telefonia, a consequência da retirada dos chineses do 5G seria a redução da cobertura da tecnologia. Como os equipamentos americanos são 30% mais caros, 30% menos localidades do país seriam atendidas.

A previsão é que os militares agirão para restringir a compra de equipamentos chineses. A área técnica do governo não vai se mexer. O ministro das Comunicações, Fábio Faria, tem dito que a decisão será de Jair Bolsonaro.

TIROTEIO
Bolsonaro foi falacioso ao dizer que índios são culpados pelos incêndios, e isso atrapalha nosso comércio no mundo

De Alex Manente, deputado (Cidadania-SP) e secretário de Relações Internacionais da Câmara, sobre discurso do presidente na ONU

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino