Diplomatas classificam cumprimento de Bolsonaro a Biden como “desidratado” e “protocolar"

Diplomatas classificam cumprimento de Bolsonaro a Biden como “desidratado” e “protocolar"

19:55 - O cumprimento tardio de Jair Bolsonaro reconhecendo a eleição de Joe Biden à presidência dos Estados Unidos foi classificado por integrantes do Itamaraty como uma atitude “desidratada”, “seca” e “protocolar”. Para diplomatas, a mensagem não minimiza o desgaste gerado pelo fato de Bolsonaro ter sido um dos últimos líderes mundiais a reconhecer a vitória do democrata, somente seis semanas após o pleito.

Até o início desta tarde, o presidente brasileiro e o ditador Kim Jong-un eram os únicos presidentes que ainda não tinham cumprimentado Biden. Agora, resta apenas o norte-coreano.

– Continua válida a ideia de que fomos os últimos a cumprimentar Biden, ao lado do presidente norte-coreano. O Brasil vai precisar muito mais do que uma saudação tão protocolar e desidratada para compensar esse fato. – disse um diplomata à coluna. Para membros do Itamaraty, uma “nota seca” do governo brasileiro não teria impacto tão negativo se tivesse sido publicada no dia em que a vitória de Biden foi confirmada pela imprensa norte-americana, em 7 de novembro.

Chamou a atenção de integrantes do Ministério das Relações Exteriores o fato de o governo brasileiro não ter usado a palavra eleição. Segundo eles, esses cumprimentos, que são vistos como um gesto de abertura ao diálogo, costumam ter um tom de celebração sobre a chegada de um novo líder eleito democraticamente, o que não ocorreu na nota do Brasil.

Os diplomatas também avaliam que Bolsonaro não abriu novas frentes de diálogo com Trump no comunicado e se limitou a falar em “continuidade à construção de uma aliança”. Para eles, a mensagem poderia ser interpretada como uma disposição do Brasil de dar prosseguimento ao que já foi traçado com Donald Trump, que sempre teve apoio declarado do presidente brasileiro.

– Os americanos vão ler isso como algo muito protocolar. Não há entusiasmo nessa nota. Claramente, é feita por obrigação, o que não é suficiente. – avaliou outro integrante da Ministério das Relações Exteriores.

Leia o cumprimento de Bolsonaro na íntegra:

- Saudações ao Presidente Joe Biden, com meus melhores votos e a esperança de que os EUA sigam sendo “a terra dos livres e o lar dos corajosos".

- Estarei pronto a trabalhar com V. Exa. e dar continuidade à construção de uma aliança Brasil-EUA, na defesa da soberania, da democracia e da liberdade em todo o mundo, assim como na integração econômico-comercial em benefício dos nossos povos.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino