Declarações de Eduardo sobre China desagradam ala pragmática do governo

Declarações de Eduardo sobre China desagradam ala pragmática do governo

Nunca quis ofender povo chinês, mas embaixador não refutou meus argumentos, diz deputado

Preocupada com a troca de acusações entre Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, a ala pragmática do governo passou a defender um pedido de desculpas ao país asiático.
Enquanto alguns auxiliares advogam por uma manifestação pública, militares afirmam que autoridades deveriam entrar em contato com a missão diplomática, discretamente, para deixarclaro que a opinião do filho de Jair Bolsonaro não é partilhada pelo Planalto ou pelo Itamaraty.
Interlocutores ouvidospela Folha consideraram grave e fora da praxe diplomática o tom adotado tanto por Yang quanto pela conta oficial da Embaixada da Chinano Brasil para respondera publicações de Eduardo, que disse em suas redes que a China é culpada pela pandemia daCovid 19.
O parlamentar republicou um texto sobre o tema e comparou a resposta de Pe quim di ante da pandemia à atuação dossoviéticosp ara esconder a real magnitude doacídentenuclear de Tehernóbil, em 1986.
`A culpa é da China, e a liberdade seria a solução`, escreveu, numa mensagem que posteriormente foi apagada.
Autoridades chinesas classificaram como `insulto maléfico` as declarações e disseram que o deputado voltou com um `vírus mental` da viagem aos EUA. A contada missão diplomática da China no Twitter afirmou ainda que a atitude de Eduardo está `infectando a amizade` entre os países.
Auxiliares do presidente ressaltaram que as respostas dos chineses oc orreram horas depois da mensagem publicada por Eduardo, o que significa que Yang está respaldado por Pequim. Isso revela, avaliam, que o mal-estar causado é `mais grave do que se imagina`.
Depois darepercussãonegativa, Eduardo voltou ao Twitternestaquinta-feíra (iy). `Jamais ofendi o povo chinês, talinterpretação ê totalmente descabida`, escreveu. Ele manteve o tom de confronto.
`Não identifiquei qualquer desconstrução dos meus argumentos por parte do ernbaixadorchinês no Brasil Este apenas demonstrou irritação com meu post e direcionou erroneamente suas energias no compartilhamento de posts ofensivos àhonra de minha família este sim um fato grave e desproporcional`.
Apesar da crítica ao diplomata, Eduardo disse que opaís não deseja problemas com a China e explicitousua `estí ma pela contribuição da comunidade chinesa no desenvolvimento do Brasil`. Escreveu ainda que não falou em nome do governo.
As manifestações de repúdio chinesas causaram apreensão 110 agronegõcio, na equipe econômica eentre militares. O país asiático hoje ê o maior comprador das exportaçõesbrasileiras, sobretudo de produtos agrícolas.
Além disso, háuma preocupação com arecuperação econômica apóso enfrentamento da pandemia. A avaliação é que os chineses estarãoà frente de qualquer esforço de retoma cia da de manda global, e o Brasil não pode se dar ao luxo de ter rusgas com Pequim num momento como este.
Chamou a atenção ainda de membros do governo que Yang marcou em suas redes sociais tanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM- RJ), quanto o chancele r Ernes toAraújo, numa sinalização de que o regime chinês espe rava manifestações de ambos. Maia pediu desculpas em nomeda Câmara dos D eputado s pelas` palavras irrefletídas` de Eduardo, e Ernesto criticou o comportamento do embaixador e afirmou que o governo espera uma retratação.
Emumtuíte, Maia disse que `a atitude não condiz com a importância da parceria estratégica Brasil-China e com os ritos da diplomacia.
` O Congresso Nacional en caminhou ao governo chinês uma carta com pedido de desculpas. `Apresento a vossa excelência e a todo o povo chinês, em meu nome e em nome do Congresso Nacional, nosso respeito, solidariedade e também nossas desculpas`, diz a carta assinada pelo senador Antonio Anastasia (PSD-MG), vice-presidente do Senado.
O p re sidente da Frente ParlamentardaAgropecuária, deputado Alceu Moreira (MDB- RS), disse que a m anife staç ão de Eduardo culpando aChina pelo coronavírus é `infeliz`.
`Mas é preciso perceber que a mensagem expressada tem peso relacionada a quem a expressa. Neste momento, com pouquíssima credibilidade`, declarou. O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) entrou com pedido de cassação do mandato de Eduardo.
O governador de São Paulo, João Dona (PSDB), também criticou a fala do deputado.
`Além do absurdo de mini mizar a pandemia e convocar manifestações, agora ele en vergonha os brasileiros com dec laraçãopreconceituosa sobre omais importante parceiro comercial do Brasil`.
Na tarde desta quinta, a embaixada da China voltou a criticar o deputado:`Quem insiste em atacar e humilhar o povo chinês acaba dando um tiro no seu próprio pé`.
`São absurdas e preconceituosasassuasp alavras, além de ser irresponsáveis. Não vale a penarefutá-las. Aconselhamos quebusqueínformaçõescientíficas e confiáveis nas fontes sérias como a OMS, úteis para ampliara sua visão` escreveu.
`Os seus argumentos mostram que você não está arrependido pela suaatitude, tampouco ciente dos seus erros. Ao continuar a optar por ficar no lado oposto ao povo chinês, está indo cada vez mais longe no caminho errado.
` A embaixada tambémpublicouuma nota oficial, dizendo que o país não aceitou a gestão feita pelo chanceler brasileiro. `O deputado Eduardo Bolsonaro tem quepedir desculpa ao povo chinês pela sua provocação flagrante.

Mourão e Ernesto tentam desvincular falas do Planalto

0 vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta quinta que a declaração de Eduardo não representa aopinião do governo federal.
`O Eduardo Bolsonaro é um deputado. Se osobrenome dele fosse Eduardo Bananinha, não era problema nenhum. Só por causa do sobrenome. Ele não representaogoverno`, disse à Folha. `Não é a opini ão do governo. Ele tem algum cargo no governo?
` Em entrevistaâ CNN Brasil, Eduardo disseque Mourão foi infeliz ao escolher o sobrenome. `Ele quis dizer que o meu tuíte está sendo potencializado só por eu ser filho do presidente. Elesó teve um poucodeinfelicidade de escolhero nome bananinha, o que dá margem paraalguns tipos de chacota.
` Ernesto Araújotambém disseque as falas` não refletem a posição do governo brasilei ro`. `É inaceitável que o embaixador da China endosseou compartilhe postagem ofensiva ao chefe de Estado do Brasil e aos seus eleitores, como infelizmente ocorreram on tem à noite`, escreveu. Ele se referia a uma postagem que dizia que `a família Bolsona ro é o grande veneno deste país`, retuítada pelo embaixador chinês e depois apagada.
Ernesto disse ter comunicado ao embaixador `a insatisfação do governo brasileiro com seu comportamento` e afirmou que ogovemo espera uma retratação. Embora as publicações de Yang não tenham qualquermenção direta a Bolsonaro, o chanceler cri ticou a ofensa ao presidente.
`Cabe lembrar que em nenhum momento ele [Eduardo] ofendeu o chefe de Estado chinês. A reação do embaixador foi, assim, desproporcional e feriu a boa prática diplomática.
Gustavo Uribe, Ricardo Delia Coletta e Talita Fernandes

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino