Crescimento será “bem acima” das previsões iniciais, afirma Guedes

Crescimento será “bem acima” das previsões iniciais, afirma Guedes

Ministro diz que notícias são “animadoras” nos primeiros meses do ano

A economia brasileira dá indicações que pode crescer bem acima dos estimado pelo governo
para este ano, disse ontem o ministro da Economia, Paulo Guedes, no Fórum de Investimentos
Brasil 2021. A recuperação ocorre em todos os setores, em todas as regiões e todas as
cidades.

“A economia está dando indicações de que o crescimento pode bem acima de nossas
previsões para este ano, de 3,4%. Os agentes privados já estão revisando para acima de 4% a
taxa de crescimento. A mediana [está] em torno de 4,5% e já há quem esteja previsões de um
crescimento de 5%”, afirmou.

A previsão da Secretaria de Política Econômica (SPE) para o Produto Interno Bruto (PIB) deste
ano é de 3,5%, considerada conservadora pelo governo. A próxima revisão ordinária ocorrerá
em julho.

“As primeiras notícias são animadoras para este ano”, afirmou. Nos primeiros quatro meses de
2021, foi criado 1 milhão de empregos. A arrecadação tributária, proxy da atividade econômica,
bateu recorde no período.

Ele atribui esses dados à volta em “V” da economia após o período mais agudo da pandemia.
No ano passado, o governo gastou 8,5% do PIB em medidas para proteger os mais
vulneráveis e os empregos, disse. No entanto, manteve seu duplo compromisso: cuidar da
saúde e dos mais frágeis, sem perder o controle das contas públicas.

Esse binômio continuará a ser observado em 2021, mesmo se o governo tiver de prorrogar o
auxílio emergencial, disse. A rodada atual do benefício vai até julho. Segundo ele, a dívida em
relação ao PIB deve fechar o ano próxima a 85% e a projeção do déficit primário está sendo
revista de 3,5% do PIB para 3% do PIB neste ano.

O ministro informou ainda que será anunciado em breve um programa emergencial de geração
de empregos que conterá desoneração da folha salarial. Referia-se ao Bônus de Inclusão
Produtiva (BIP) e Bônus para Incentivo à Qualificação (BIQ).

Falando a uma plateia de investidores, o ministro afirmou que o Brasil quer ser a maior e
melhor fronteira de investimentos do mundo. É dessa forma que pretende substituir a
recuperação cíclica que se vê por um ciclo sustentado de crescimento baseado nos
investimentos.

“Reasseguro que o Brasil vai se transformar em uma das maiores fronteiras do mundo”,
afirmou. “O Brasil continua sendo a quarta maior destinação de investimentos externos e queremos acelerar esse papel.”

Atento à má repercussão da política ambiental brasileira entre investidores, o ministro afirmou
saber que “o futuro é verde e digital”. Ressaltou o fato de o país possuir a matriz energética
mais limpa do mundo.

Guedes prometeu aos investidores retomar as privatizações. Frisou que a Eletrobras é a maior
empresa de energia da América Latina. Os Correios, outra empresa que o governo pretende
vender, igualmente pode tornar-se a maior empresa de logística da região. Esperam-se leilões
concorridos, comentou.

Na área de concessões, o Ministério do Desenvolvimento Regional calcula investimentos de
US$ 100 bilhões somente em projetos de água e esgoto. Guedes destacou a aprovação do
novo marco regulatório para o setor e o leilão da Cedae.

O governo pretende obter do Congresso a aprovação de novos marcos para a navegação de
cabotagem e para as ferrovias. Dessa forma, quer expandir a oferta e a concorrência em
serviços de logística, de forma a baratear o Custo Brasil.

Por Lu Aiko Otta e Edna Simão

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino