Coronavírus deve afetar vendas da Petrobras no 1º trimestre, diz Castello Branco

Coronavírus deve afetar vendas da Petrobras no 1º trimestre, diz Castello Branco

16:10 - Executivo afirma que epidemia na China reduziu demanda global por petróleo e que estatal busca novos mercados

RIO - O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou hoje que a crise desencadeada pela epidemia de coronavírus na China deverá afetar as exportações da Petrobras nos três primeiros meses do ano. Para minimizar esse efeito, afirmou que, diante da redução da atividade da economia chinesa, a diretoria da estatal diz estar buscando aprofundar a diversificação de sua atuação no mercado internacional.

Castello Branco: 'Estamos preparados para uma longa greve'

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, Castello Branco afirmou que as exportações em janeiro se mantiveram em patamar recorde, mas reconheceu que a redução da demanda chinesa poderá afetar as vendas da estatal neste início de ano não só pela redução da demanda, mas também pela queda da cotação internacional do petróleo.

 No entanto, ele classificou o impacto como temporário.

- Janeiro foi mês recorde de exportações. Até agora, em fevereiro, está indo bem. O coronavírus não teve efeito na quantidade, mas no preço (do barril do petróleo). E isso vai se refletir no balanço do primeiro trimestre - afirmou Castello Branco.

Segundo ele, o impacto é temporário na economia global.

- O choque vai durar um trimetstre. No próximo trimestre, (tende) a melhorar. No terceiro trimestre, começa a haver uma recuperação na economia global. A China é e será o grande demandante de commodity. E isso vai continuar. Ao mesmo tempo, não podemos ficar dependentes de um único mercado. Por isso, a área de refino tem buscado melhorar seus esforços de comercialização.

Coronavírus:Petrobras mantém exportações apesar de queda no preço do petróleo

A diretora de Refino e Gás da Petrobras, Anelise Lara, destacou a abertura de novos mercados recentemente, como o da Índia:

— O óleo do pré-sal tem boa aceitação no mercado internacional, com destaque na China. A exportação para China vai continuar forte. Claro que pode haver redução pontual de demanda, como agora. A China reduziu a compra de petróleo em 3 milhões de barris por dia. Isso foi em função do coronavírus. A gente está com o nosso petróleo bem aceito na Europa e Estados Unidos. Estamos buscando novos mercados, como o indiano. Temos contato com empresas da Índia, que também estão interessados em óleo com baixo teor de enxofre.

Em relação à greve dos petroleiros, que deve ser suspensa hoje, Castello Branco afirmou que não haverá impacto, já que, segundo ele, o plano de contingência da empresa funcionou para manter a produção:

— Ao ser anunciada a greve, colocamos o nossos planos de contingência. Eles se mostraram bem-sucedidos e mantivemos a produção, em transporte, logística e refino. Mantivemos o mercado abastecido.   

 

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino