Bretas autoriza Temer a viajar para o Líbano

Bretas autoriza Temer a viajar para o Líbano

23:02 - Comitiva de ex-presidente que levará ajuda brasileira para Beirute terá marqueteiro Elsinho Mouco e presidente da Fiesp

Camila Zarur e Leandro Prazeres

BRASÍLIA E RIO – O juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, atendeu nesta segunda-feira ao pedido da defesa de Michel Temer e autorizou a viagem do ex-presidente em missão oficial ao Líbano. Temer, que descende de libaneses, foi convidado pelo presidente Jair Bolsonaro a liderar a missão oficial brasileira de ajuda aos cidadãos de Beirute, capital do país, onde uma explosão no porto devastou boa parte da cidade e deixou ao menos 163 mortos, mais de 6 mil feridos e 300 mil desabrigados na semana passada.

Na sua decisão, Bretas afirma que concedeu autorização porque "o motivo está plenamente justificado ante a natureza humanitária da missão oficial para a qual foi designado, em nome da República brasileira, e que, em outras ocasiões, a instância superior concedeu-lhe autorização de viagem".

O advogado de Temer, Eduardo Carnelós, precisou solicitar autorização a Bretas para que viagem fosse realizada porque o político está proibido de sair do Brasil sem o consentimento do Judiciário. Ele é réu em duas ações que correm no âmbito da Operação Lava-Jato do Rio de Janeiro. O pedido foi apresentado ao magistrado na noite desta segunda, conforme antecipou a jornalista Bela Megale, logo após um decreto no Diário Oficial da União (DOU), em edição extra, oficializar o convite de Bolsonaro ao ex-presidente.

Pouco antes, o governo publicou a lista dos representantes da delegação que vai representar o Brasil em Beirute. Além do ex-presidente, a delegação conta com o ex-marqueteiro de Temer, o publicitário Elsinho Mouco, e do presidente da Fiesp (Federação da Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf.

A lista com os integrantes da delegação foi publicada na edição extra do Diário Oficial da União (DOU). De acordo com o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, a delegação vai ficar no Líbano entre os dias 12 e 15 de agosto. O voo está marcado para as 11h de quarta-feira e a delegação será composta por 14 pessoas.

O presidente anunciou o convite a Temer neste domingo, durante uma videoconferência sobre a ajuda ao Líbano organizada pela França e pela ONU. No entanto, o ex-presidente e Bolsonaro já conversavam sobre qual seria a atuação do Brasil desde o dia da explosão, na última terça-feira. Desde então, os dois têm organizado juntos a missão em solo libanês.

Bolsonaro prometeu o envio de um navio com 4 mil toneladas de arroz ao Líbano, que teve o estoque de grãos e cereais comprometido por causa da explosão, além de uma aeronave com “medicamentos e insumos básicos de saúde, reunidos pela comunidade libanesa radicada no Brasil”. Ele disse ainda que o Brasil vai mandar uma equipe técnica multidisciplinar para auxiliar na perícia da explosão.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino