Brasil facilita importação de soja e milho transgênicos dos EUA, para compensar estoques baixos

Brasil facilita importação de soja e milho transgênicos dos EUA, para compensar estoques baixos

12:09 - Nova norma dá mais segurança jurídica a importadores. País enfrenta preços recordes e escassez de grãos após forte exportação para a China

RIO — O governo brasileiro publicou uma instrução normativa conferindo segurança jurídica para importações de soja e milho transgênicos dos Estados Unidos, facilitando as compras desses grãos no exterior. O país vem elevando a importação de soja, diante dos estoque baixos e preços recordes.

A instrução normativa, segundo o Ministério da Agricultura, reconhece a equivalência de eventos geneticamente modificados entre Brasil e EUA. Dessa forma, busca eliminar incertezas sobre importações dos EUA, já que o país possui produtos transgênicos ainda não aprovados aqui.

Os americanos são potenciais fornecedores de grãos ao Brasil, que enfrenta uma escassez de soja, principalmente, após fortes exportações para a China e diante de aquecida demanda interna.

Não é a primeira medida que o Brasil toma para facilitar a importação do grão. Mês passado, o governo zerou a tarifa de importação da soja e do milho para países de fora do Mercosul.

A nova norma do Ministério da Economia, publicada na quarta-feira e relatada à Reuters na noite de quinta-feira, surge na mesma semana em que os EUA confirmaram uma exportação de 30 mil toneladas de soja ao Brasil.

As importações de soja pelo Brasil, contudo, devem ser maiores de parceiros do Mercosul, conforme indicam as projeções neste momento

Maior importação desde 2008

De janeiro a setembro, as importações de soja pelo Brasil somaram 528 mil toneladas, segundo dados do governo, que apontam o Paraguai como maior fornecedor, com 521 mil toneladas. No ano passado, as compras brasileiras foram de apenas 144 mil toneladas.

Na véspera, a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) revisou sua projeção de importação de soja pelo Brasil para 1 milhão de toneladas, ante 850 mil toneladas na estimativa de outubro.

O volume de 1 milhão de toneladas, se confirmado, seria a maior importação pelo Brasil desde 2008, pelo menos, segundo dados da Abiove.

As importações estão fortes após volumosos embarques pelo Brasil, o maior produtor e exportador de soja.

Menor estoque da história

De janeiro a novembro, as exportações do país estão projetadas em 82 milhões de toneladas, ante 69,9 milhões no mesmo intervalo de 2019, com a maior parte das vendas já realizadas, segundo a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec).

Para novembro, a Anec projeta exportações do Brasil de apenas 688,1 mil toneladas, o menor volume mensal do ano, diante dos baixos estoques.

O Brasil deverá passar para a próxima safra com os menores estoques da história, de 319 mil toneladas, segundo a Abiove. A partir de janeiro, quando a colheita começa, espera-se que a oferta se regularize.

A Abiove elevou na véspera a estimativa de produção de soja do Brasil em 2021 para 132,6 milhões de toneladas, ante 131,7 milhões na previsão anterior, o que seria um novo recorde.

Em 2020, safra também foi histórica, de 126,4 milhões de toneladas, segundo a Abiove, mas a forte demanda chinesa colaborou para reduzir fortemente os estoques.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino