Brasil dá sinal verde para acordo de livre comércio do Mercosul com Indonésia e Vietnã

Brasil dá sinal verde para acordo de livre comércio do Mercosul com Indonésia e Vietnã

No entanto, para que os entendimentos avancem ainda é necessária uma articulação com os demais sócios do bloco sul-americano

O governo brasileiro deu o sinal verde para o início das negociações de acordos de livre comércio do Mercosul com Indonésia e Vietnã, informou nesta terça-feira (15) o Ministério da Economia. Os mandatos dos negociadores foram concedidos pelo Conselho de Estratégia Comercial (CEC) da Câmara de Comércio Exterior (Camex). No entanto, para que os entendimentos avancem ainda é necessária uma articulação com os demais sócios do bloco sul-americano.

De acordo com a pasta, estudos sobre o impacto econômico-comercial desses acordos apresentados no último dia 9, na reunião do CEC, indicaram potencial positivo para a economia brasileira.

“Em ambos os casos, é esperado um aumento da corrente de comércio, com maior acesso a esses mercados para exportações brasileiras e redução de custos para o consumidor”, afirma, em nota, o secretário especial de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Roberto Fendt.

Os principais atrativos desses dois mercados é a taxa de crescimento expressiva do Produto Interno Bruto (PIB) e o aumento consistente do nível de renda per capita da população.

“Espera-se que acordos comerciais possam superar as barreiras tarifárias e não tarifárias incidentes no comércio do Brasil com ambos os países.”, disse Fendt. “A Ásia é um dos eixos mais dinâmicos do comércio mundial e o Brasil e o Mercosul devem dinamizar o comércio com o continente.”

De acordo com o Ministério da Economia, a Indonésia, país localizado no sudeste asiático, é a quarta nação mais populosa do mundo, com mais de 270 milhões de habitantes. Em 2019, seu PIB atingiu US$ 1,12 trilhão, tornando-a a 16ª maior economia mundial. A corrente de comércio entre Brasil e Indonésia se manteve próxima a US$ 3 bilhões anuais, nos últimos cinco anos. Em 2019, as exportações brasileiras destinadas ao país asiático somaram US$ 1,71 bilhão e as importações brasileiras, US$ 1,3 bilhão.

Por sua vez, o Vietnã, também localizado no sudeste asiático, tem uma população de cerca de 95 milhões de habitantes e um PIB de US$ 261,9 bilhões. A corrente de comércio entre Brasil e Vietnã se manteve próxima ao patamar de US$ 4 bilhões anuais, nos últimos anos. No ano passado, as exportações brasileiras destinadas ao Vietnã somaram US$ 2 bilhões e as importações brasileiras, US$ 2,5 bilhões.

Em suas palestras, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem ressaltado a importância da aproximação comercial do Brasil com países da Ásia e Oriente Médio. Ele ressalta a importância de ter, com a Índia, uma relação tão profunda como a existente com a China.

Planejamento diplomático elaborado no governo de Michel Temer (2016-2018) já apontava a Ásia como uma região estratégica, dado seu forte dinamismo econômico. Na época, foram iniciados os entendimentos com Cingapura e Coreia do Sul.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino