Bolsonaro responde a Lula com críticas ao lockdown e ataques a governadores

Bolsonaro responde a Lula com críticas ao lockdown e ataques a governadores

Presidente reforça que o governo federal deu todos os meios o enfrentamento da crise contra a Covid-19; segundo Bolsonaro, Lula está em 'plena campanha política'

O presidente Jair Bolsonaro respondeu, na tarde desta quarta-feira, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com ataques aos governadores do PT e ao lockdown. As críticas foram feitas menos de três horas após indicar uma mudança de tom em relação às medidas de combate à Covid-19, como o uso de máscaras e a vacinação.

Segundo Bolsonaro, a política de 'lockdown' não deu certo no Brasil e gerou mortes. Pouco antes, em evento no Palácio do Planalto, o presidente defendia que o lockdown serviu para dar tempo de preparar hospitais para atender a população.

Sonar: Flávio Bolsonaro pede para seguidores divulgarem foto de seu pai com texto em defesa da vacinação

— Não faltou recursos. O governo federal fez a sua parte até demais. Então, não justifica essa crítica do ex-presidente Lula, que agora inicia uma campanha. E como não tem nada para mostrar de bom. A campanha é baseada em criticar, mentir e desinformar. Nada mais além disso — declarou o presidente, em frente ao Palácio da Alvorada.

Bolsonaro disse que o governo federal deu todos os meios necessários para combater a pandemia a prefeitos e governadores, até mesmo para Manaus, onde houve colapso no sistema de saúde no início do ano e pacientes morreram sufocados por falta de oxigênio.

— Demos todos os meios para prefeitos e governadores, até na questão do oxigênio em Manaus. Nas primeiras 48 horas estavam chegando os primeiro cilindros na região, isso graças ao trabalho da Força Aérea e a ligação direta que o ministro Eduardo Pazuello tem com o ministro da Defesa — disse.

Ele afirmou que houve um "terrorismo" em relação às medidas de isolamento e que "o pavor foi levado para a população". Na visão do presidente, as orientações de governadores e prefeitos para que as pessoas ficassem em casa eram parte de uma estratégia para atingir o seu governo.

— Esses governadores, não são todos, só sabem essa política do fica em casa. Não deu certo ano passado, mortes tivemos, mortes continuamos tendo. Infelizmente, de uma forma ou de outra, mortes continuarão acontecendo.

Segundo Bolsonaro, há uma adesão "total" ao lockdown de governadores ligados ao PT . Ele também criticou a Argentina por adotar a medida e afirmou que o país vizinho está começando um processo semelhante ao da Venezuela.

Campanha política
Em resposta a críticas do ex-presidente Lula, Bolsonaro responsabilizou apenas governadores de esquerda pelas medidas restritivas:

— A parte que eu vi (do pronunciamento de Lula) é plena campanha politica. Para ele, tudo é fácil, tudo pode ser resolvido. Em nenhum momento ele falou que os seus governadores de esquerda destruíram milhões de empregos em seus estados obrigando o povo a ficar em casa.

Ele ainda fez acusações de que, se o PT estivesse no governo, iria desviar recursos da saúde:

— Queria que ele (Lula) apontasse algum ponto de corrupção no Ministério da Saúde, coisa que era muito comum no governo dele.

E acrescentou:

— Imagina a pandemia com o Lula presidente da República. Se roubaram e muito, alguns governadores e alguns prefeitos com esse recurso, imagina se o PT estivesse no governo.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino