Bolsonaro descarta apoio a imposto sobre fortunas: “É crime ser rico?”

Bolsonaro descarta apoio a imposto sobre fortunas: “É crime ser rico?”

17:10 - “Dividir riqueza e renda? Alguém conhece algum empresário socialista?”, discursou o presidente

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira que não está disposto a apoiar projetos que envolvam aumento de imposto sobre a renda dos mais ricos e taxação de grandes fortunas. A afirmação foi feita em meio a críticas a governos de centro-esquerda, como o da Argentina.

“Dividir riqueza e renda? Alguém conhece algum empresário socialista? Algum empreendedor comunista? Alguns querem que eu taxe grandes fortunas. É um crime agora ser rico no Brasil? A França há poucas décadas fez isso; o dinheiro está indo para a Rússia. Alguns querem que se aumente impostos, que se tabele preços, como a Argentina fez com a carne...”, disse o presidente.

Bolsonaro aproveitou o discurso, em evento de assinatura de um acordo para levar água a escolas rurais, na sede do Ministério da Cidadania, para colocar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como uma ameaça “à liberdade” e, novamente sem apresentar indícios ou provas, dizer que o sistema eleitoral brasileiro é passível de fraudes.

“Repito publicamente: nós temos que ter eleições limpas, eleições democráticas, que possam ser auditadas”, sustentou. “Alguém tem dúvida de que outros países têm interesse no Brasil, nesta grande fazenda? Alguns governadores se comportam como grandes capachos. ‘Ah, tem que ter cautela, cuidado com as palavras...’ O inimigo está aí!”, bradou.

O projeto celebrado por Bolsonaro junto ao Ministério da Cidadania teve financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Banco do Brasil.

Na cerimônia, o presidente criticou empréstimos concedidos em governos passados pelo BNDES à empresa JBS. Segundo Bolsonaro, as transações faziam parte de acordos para compra de partidos políticos.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino