Banco Mundial vê recuperação mais lenta da economia global

Banco Mundial vê recuperação mais lenta da economia global

As novas previsões do Banco Mundial refletem a expectativa menos otimista de recuperação das economias desenvolvidas, que enfrentam um agravamento da pandemia de covid-19

A economia global deve crescer menos em 2021 do que o inicialmente previsto. É o que mostra o relatório “Global Economic Prospects”, divulgado ontem pelo Banco Mundial, que agora prevê um avanço de 4% do PIB mundial neste ano, de 4,2% estimados em junho.

A revisão para baixo nas perspectivas de crescimento reflete a expectativa menos otimista de recuperação das economias desenvolvidas, que enfrentam um agravamento da pandemia de covid-19. Por outro lado, países emergentes e em desenvolvimento, puxados pela China, devem ter um desempenho melhor do que o previsto anteriormente.

O Banco Mundial prevê um crescimento das economias desenvolvidas de 3,3% em 2021, ante 3,9% em junho. Para os EUA, a expectativa de crescimento, que era de 4%, caiu para 3,5%. A revisão para a zona do euro foi ainda maior, passando de 4,5% para 3,6%.

O relatório destaca que a recuperação iniciada após a suspensão dos “lockdowns” do início do ano estagnou com o agravamento da pandemia tanto na Europa como nos EUA. A nova escalada da covid-19 indica que a recuperação global será lenta e desafiadora, alerta o Banco Mundial.

Para as economias emergentes e em desenvolvimento, o Banco Mundial estima um crescimento de 5% em 2021, uma alta de 0,6 ponto percentual em relação a junho. Parte da melhora se deve à rápida retomada da China, que deve crescer 7,9% neste ano, ante 6,9% previstos anteriormente.

Uma tendência similar é observada na América Latina e no Caribe. O Brasil deve crescer 3% em 2021, segundo o Banco Mundial, que já havia elevado esta previsão em outubro, após uma estimativa de avanço de 2,2% em junho. No caso do México, a expectativa de expansão do PIB passou de 3% para 3,7%. A previsão de crescimento da Argentina foi de 2,1% para 4,9%.

Para a instituição, a melhora na confiança do consumidor e as condições favoráveis ao crédito devem garantir uma recuperação do consumo privado e do investimento no Brasil. Mas o setor de serviços deve ter uma recuperação mais lenta do que indústria, em parte devido à “persistente aversão” ao risco entre os consumidores.

O Banco Mundial ressalta que a incerteza continua presente nas perspectivas de curto prazo por causa da pandemia. Um atraso na aplicação das vacinas, pode limitar o crescimento do PIB global a 1,6% em 2021. Em um cenário mais positivo, de controle bem-sucedido da pandemia, a economia global pode acelerar até 5% neste ano.

Em nota, o presidente do Banco Mundial, David Malpass, destacou que a recuperação global depende da vacinação em massa contra a covid-19, mas também da aprovação de reformas estruturais pelos países para melhorar a capacidade de atrair investimentos. As dívidas contraídas para apoiar a economia são vistas como fator de risco, especialmente entre emergentes, apesar dos estímulos terem sido avaliadas como necessárias.

O Banco Mundial também revisou as projeções para a economia global em 2020. Agora, a previsão é de contração de 4,3%, de uma queda de 5,2% em junho.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino