Argentina quer prorrogar acordo automotivo

Argentina quer prorrogar acordo automotivo

Macri oferece flexibilizar regra para estender sistema até 2023; Brasil resiste e insiste no livre-comércio a partir de 2020

Jair Bolsonaro e Maurício Macri demonstra ram bastante afinidade em reunião na semana passada em Buenos Aires, mas os negociadores de Brasil e Argentina estão esbarrando em um problema antigo da relação bilateral: o acordo automotivo.

Os argentinos solicitaram a prorrogação do atual sistema de comércio administrado de veículos e autopeças até julho de2013 Já os brasíleiros preferem manter o que estava inicialmente previsto: o livre-comércio no setor a partir de julho do ano que vem. Às vésperas das eleições presidenciais, que acontecem no segundo semestre, aequipe de Macri argumenta que o pais precisa de um prazo maior de adaptação de sua indústria.

Além disso, seus assessores gostariam de alinhar a abertura do setor automotivo arge nüno para o Brasil e para a U nião Européia. Mercosule UE estão próximos de fechar- um acordo, que, se assinado em 2019, vigoraria em dois ou três anos.

Na versão atual, o entendimento prevê uma abertura importante do setor automotivo do Mercosul. Liberal, a equipe econômica de Bois onaronão vê com a simpatia a prorrogação do acordo de veículos com a Argentina. Para conseguir prorrogar o acordo automotivo, a Argentina sinaliza com a possibilidade de aceitai` mais importações do Brasil.

A proposta do país é elevar o chamado `flex` do atual 1,5 para 1,6 ou até 1,7. O `flex` é um medida de troca que funciona assim: para cada US$ 1 exportado da Argentina para o Brasil em veículos e peças, o país tem direito a enviar US$ 1,50 para o vizinho.

As montadoras estãobastante interessadas em um `flex` mais amplo para evitar multa. Como o mercado argentino vinhaum pouco maisaquecido que obrasileiro, as montadoras enviaram mais produtos do que poderiam para o outro lado da fronteira.

Se essa relação não se equilibrar até o fim da vigência do acordo, as empresas serão obrigadas a pagai´ os impostos de importação devidos do volume que extrapolar os limites.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino