Argentina quer 'olhar para o futuro' na relação bilateral, diz novo embaixador ao chegar ao Brasil

Argentina quer 'olhar para o futuro' na relação bilateral, diz novo embaixador ao chegar ao Brasil

12/08 - 20:21 - Governo vizinho espera que questões ideológicas sejam finalmente deixadas de lado, diz Daniel Scioli ao GLOBO

Menos de 48 horas após ter desembarcado em Brasília para assumir um posto para o qual foi nomeado no final do ano passado pelo governo de Alberto Fernández, o novo embaixador da Argentina no Brasil, o peronista Daniel Scioli, foi recebido pelo secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores, Otávio Brandelli, o primeiro a ouvir do argentino que a Casa Rosada espera, a partir de agora, “trabalhar em conjunto” e “olhar para o futuro”.

Essa foi a orientação dada por Fernández a Scioli, num encontro realizado na sexta-feira passada, em Buenos Aires. E esse será o recado que o novo embaixador dará ao presidente Jair Bolsonaro, em reunião marcada para o próximo dia 19 de agosto. Questões ideológicas, espera o governo argentino, devem finalmente ser deixadas de lado.

Com esta bandeira em mãos, o homem escolhido por Fernández para chefiar a sede diplomática em Brasília e os dez consulados argentinos no país chegou confiante em que conseguirá, até mesmo, promover um encontro entre os chefes de Estado, que até pouco tempo atrás não admitiam sequer participar de um encontro virtual com outros presidentes.

— O recado do presidente argentino para Bolsonaro foi claro: diga para o presidente que temos o compromisso de trabalhar juntos e de respeitar a vontade de nossos povos. Deixando ideologias de lado — enfatizou Scioli em entrevista ao GLOBO.

Este dirigente peronista é um embaixador com peso próprio. Foi vice-presidente do governo Néstor Kirchner (2003-2007), duas vezes governador da província de Buenos Aires e candidato presidencial do governo de Cristina Kirchner (2007-2015) nas eleições de 2015. Perdeu por pouco para o ex-presidente Mauricio Macri (2015-2019). Fernández escolheu com cuidado o homem que enviaria ao Brasil. Scioli é conhecido por sua paciência estratégica, capacidade de diálogo e conciliação, até mesmo com políticos de setores políticos opostos. O embaixador é amigo de Macri, tem excelente relação com todos os governadores peronistas e com o presidente mantém um vínculo de respeito mútuo.

Perguntado sobre o medo de viajar para o Brasil, epicentro mundial da pandemia, Scioli respondeu que “a responsabilidade e importância de dar um sinal claro ao Brasil foi mais forte do que qualquer temor natural”. Na esteira de seu acordo com credores privados para renegociar grande parte da dívida pública e diante do desafio de iniciar conversas com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o governo argentino está buscando aliados que possam ajudar o país no difícil processo de recuperação econômica, em plena pandemia.

— A recuperação do Brasil é uma influência positiva para a Argentina. Do ponto de vista comercial, precisamos aumentar nosso comércio. E do ponto de vista político, agora as posições também ficaram claras, com a mensagem enviada por nosso presidente.

As relações entre Brasil e Argentina nunca estiveram tão estremecidas. As divergências não são apenas ideológicas. Enquanto muitos países têm aderido ao movimento contra o candidato do governo Donald Trump para comandar o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Mauricio Claver-Carone, entre eles a Argentina, o governo brasileiro mantém seu respaldo à Casa Branca. Perguntado sobre a possibilidade de unificar posições neste sentido, Scioli assegurou que o assunto está sendo tratado pelas chancelarias de cada país, mas que estaria disposto a colaborar se lhe for solicitado.

— Quero construir pontes de diálogo... agora, esse assunto (a mudança de presidência do BID) não pode se misturar com outras coisas, temos de avançar em outros aspetos da relação bilateral — afirmou o embaixador.

Sua principal meta, agora, é reativar o comércio bilateral. Na pandemia, pela primeira vez a China ultrapassou o Brasil e se transformou no principal parceiro comercial da Argentina. Scioli tem conversado com diversos setores e disse saber perfeitamente qual é a demanda dos estados brasileiros e que produtos argentinos podem aumentar sua presença no mercado local.

— No encontro com Bolsonaro vamos definir como começar a trabalhar juntos. Queremos uma relação sincera, franca — concluiu o novo embaixador argentino.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino