AGNU  ●  Coronavirus  ●  Islas Malvinas  ●  Mercosur  ●  Mercosur-UE  ●  Venezuela

Argentina Pecom estreia em campos maduros no Brasil

Argentina Pecom estreia em campos maduros no Brasil

Petróleo Braço do grupo Perez Companc fará operação e manutenção de ativos no RN e mira mais negócios

A Pecom, empresa 100% controlada pelo tradicional grupo argentino Perez Companc e que fornece bens e serviços para o setor energético, está expandindo suas operações no Brasil e quer fazer do país o principal vetor de seu plano de internacionalização. A companhia iniciou há um mês as suas primeiras atividades de operação e manutenção de campos maduros de óleo e gás no mercado brasileiro, por meio de um contrato com a 3R Petroleum empresa que estreia como produtora, depois de comprar o polo Macau (RN), j unto à Petrobras, e optou por terceirizar parte da operação do ativo.

O presidente da Pecom, Javier Cordero, conta que empresa já operava no Brasil, como fornecedora de bombas mecânicas para produção de petróleo, por meio da Bolland companhia argentina adquirida em 2018. A idéia, agora, é diversificar os negócios no mercado brasileiro, a começar pelo segmento de operação e manutenção de campos maduros, atividade que conhece bem, desde os tempos em que o Grupo Perez foi o principal produtor privado do país vizinho, nos anos 1990, antes de abandonar o negócio petrolífero porpouco mais de uma década.

`No nosso plano estratégico para 2020-2029, o grande vetor de crescimento consiste em irmos à região [da América do Sul), internadonalizarmo-nos`, afirmou o executivo ao Valor. Segundo ele, a idéia é crescer em volume de negócios. Num segundo momento, no futuro, a Pecom cogita abrir o seu capital na Bolsa, na Argentina.

Cordero destaca que o Brasil é o principal mercado a ser explorado pela companhia, nessa nova investida na América do Sul. Atualmente, a Argentina responde por 95% nos negócios da Pecom, que fechou 2019 com um faturamento de USS 514 milhões. A empresa quer explorar novas oportunidades nos vizinhos sul-americanos. como o Brasil, Colômbia e Peru, para elevar a participação do segmento internacional da empresa para 50% de seus negócios. Segundo o executivo, o plano estratégico passa por um delay, devido à pandemia de covid-19, mas está mantido em sua essência, que é crescer por meio da internacionalização.

No Brasil , a idéia é expandir ainda mais a carteira de bens e serviços oferecidos. Além do fornecimento de bombas e de serviços de operação e manutenção, a Pecom vê potencial para desenvolver, no país, negócios como o de químicos para estimulação de poços e engenharia e construção de infraestrutura (como unidades de tratamento e dutos), `Nessa linha estamos armando, passo a passo, nossa companhia no Brasil para atender a todos esses serviços`, comentou.

Segundo Cordero, a empresa cogita inclusive construir no Brasil, no longo prazo, uma unidade para produção de químicos, se a atividade decolar. No setorde operação e manutenção de campos maduros, a Pecom aposta na entrada de novos produtores em terra e águas rasas, em meio aos desinvestimentos da Petrobras. A atividade é uma vocação que a Pecom traz desde os anos 1960, quando a Perez Companc se estabeleceu como uma petroleira. O grupo chegou a ser, nos anos 1990, o segundo maior produtor da Argentina, atrás apenas da YPF, até decidir sair do negócio para se concentrar em alimentos e no agronegócio. Em 2002, a companhia vendeu a unidade de óleo e gás para a Petrobras, por US$ 1,02 bilhão. O negócio chegou a entrar, anos mais tarde, nas investigações da Lava-Jato, quando em 2016 o exdiretor da estatal brasileira, Nestor Cerveró, citou que a transação envolveu uma propina de USS 100 m ilhões ao gove mo FHC, sem esclarecer quem recebeu. `Nunca fomos chamados pelas autoridades [a prestar nenhum tipo de esclarecimento]`, disse Cordero. A volta da Pecom ao mercado de óleo e gás se deu em 2015, dessa vez não mais como produtora, mas sim prestadora de serviços, ao comprar a Skanska na Argentina. Nos últimos anos, essa reaproximaçâo com o setor de energia foi reforçada pelas aquisições da Bolland e da TEL 3 (de engenharia e construção). 0 grupo Perez Companc, por sua vez, atua nos setores de energia, por meio da Pecom e Conuar (nuclear); de alimentos, com a Molinos; e no agronegócio, com a Molinos Agro e a Goyaike.

Javier Cordero, presidente da Pecom: empresa pensa construir uma unidade para produção de químicos no Brasil

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino