83% estão insatisfeitos com democracia no Brasil

83% estão insatisfeitos com democracia no Brasil

Pesquisa divulgada nesta segunda {29) pelo Pew Research Center mostra que a maioria da população está insatísfeita com o funcionamento da democracia em seus países.

De acordo com levantamento feito em27 nações entre elas o Brasil, 51% das pessoas estão descontentes coma democracia, enquanto 45% avaliam de forma positiva o desempenho do sistema político.

No Brasil, por sua vez, a diferença é maior: 83% se declaram insatisfeitos, en quanto somente 16% se dizem satisfeitos com a democracia 16 pontos perc entuais a mais de insatisfeitos em relação a´2017, quando 67% afirmavam estar descontentes. 

A pesquisa foi feita entre maio e agosto de 2018, ou seja, durante o governo do ex- presidente Michel Temer (MDB) e antes da eleição de JairBolsonaro (PSL) ao Planalto.

Nos EUA, a insatisfação com a democracia é de 58%. Em relação a 2017, já com o presidente republicano Donald Trump no comando da Casa Branca, o núme ro dos des contentes aumentou 7 pontos. 

Para a análise fe it a pe lo instituto foram consideradas questões relativas a economia, política, sociedade e segurança.

Segundo o instituto, o resultado mostrou que a insatisfação com a democracia está intimamente relacionada à frustração com a economia, ao cerceamento de direitos individuais, ao tratamento que a Justiça dá aos cidadãos e à avaliação de que os poli ti cos, além de corruptos, não se preocupam com o povo. 

As dúvidas sobre economia, a raiva contra uma elite considerada corrupta e inatingível e a ansiedade sobre rápidas mudanças sociais é o que têm alimentado agitações políticas no mundo e impulsionando o descrédi to na democracia, de acordo com os pesquisadores. 

O cenário político ainda conflagrado levanta umapergunta importante: a insatisfação com a democracia é suficiente para que as pessoas tenham disposição de apoiar outras formas degoverno, inclusive asnão democráticas?

O Pew Research Center concluiu que os insatisfeitos tendem a ser menos comprometidos com a democracia representativa e, portanto, maisin elinados a apoiar outras formas de governo, como o de um líder forte ou até mesmo um comandado pelas Forças Armadas, mas não há números absolutos que ilustrem essas constatações no levantamento.

Pessoas que disseram que a economia está ruim em seus países tèm 7r% de chance de se dizerem também insatisfeitas com a democracia. No Brasil, assimeomo na Gréciaena Tunísia, porém, foram tão poucos os e ntrevis tados que avaliaram a economia como boa que não foi possível fazer essa relação. 

Além do pessimismo coma situação financeira dos países, os dados mostram que a maioria da população afirma que a eleição traz pouca mudança para o status quo. Por outro lado, as pessoas estão, na média mundial, mais otimistas em relação à proteção à liberdade de expressão, à criação de oportunidades para melhorar de vida e à segurança pública.

No Brasil, o cenário é um pouco diferente e também mais sombrio nesse aspecto.  Na média dos 27 países pesquisados, 62% avaliam que a liberdade de expressão está protegida dentro dos seus territórios. Entre osbrasileiros, 42% têm essa percepção, enquanto 55% acham que esse direito não está devidamente protegido no país.

O cansaço diante da política tradicional e a ânsia por mudanças de governo multiplicou a ascensão de líderes an ti-establishment, como Bolsonaro no Brasil e Trump nos EUA, além de partidospopulistas, como na Europa. 

Entre os europeus, soma- se aos fatores que contribuem com a insatisfação em relação â democracia a visão que eles têm sobre União Europeia(UE) e imigrantesdesde 2015, a região tem recebido uma onda de refugiados, principalmente na Grécia e Itália. Nesses dois países, são mais de 70% os insatisfeitos com o funcionamento da democracia, por exemplo.

www.prensa.cancilleria.gob.ar es un sitio web oficial del Gobierno Argentino